Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Primeira mulher a receber transplante de útero está grávida

Derya Sert se submeteu ao transplante em agosto de 2011. Segundo seus médicos, a gravidez apresenta riscos, mas se desenvolve normalmente

Por Da Redação 12 abr 2013, 10h53

Derya Sert, uma jovem turca de 22 anos e a primeira mulher do mundo a receber um transplante de útero com êxito, está grávida – outro feito mundial para a medicina, anunciaram nesta sexta-feira os seus médicos. “Os testes preliminares de duas semanas são compatíveis com uma gravidez”, indicou, em um comunicado, o professor Mustafa Unal, médico-chefe do hospital universitário Akdeniz, que fica localizado ao sul da Turquia.

De acordo com o comunicado, os médicos conseguiram implantar com sucesso no útero de Derya vários embriões fecundados in vitro a partir de seus óvulos e de espermatozoides de seu marido. “A saúde da paciente é boa”, afirmaram os médicos. Segundo eles, a gravidez da paciente apresenta muitos riscos, mas se desenvolve de uma maneira normal, e a jovem deverá dar à luz por cesariana. No entanto, seu útero deverá ser extraído nos meses seguintes ao nascimento para evitar complicações e risco de rejeição.

Leia também:

Transplante de útero mais perto da realidade

Britânica poderá ser primeira a receber útero doado pela mãe

Transplante pioneiro – Nascida sem útero, Derya se tornou a primeira mulher no mundo a receber, em agosto de 2011, um transplante de útero de uma doadora morta. Antes disso, houve uma tentativa de transplante do órgão na Arábia Saudita em 2000. Esta intervenção foi realizada com uma doadora viva, mas fracassou depois de 99 dias e os médicos tiveram que retirar o órgão transplantado. A cirurgia bem sucedida em Derya deu esperanças a milhares de mulheres no mundo – cerca de uma em cada 5.000 mulheres nasce sem útero, segundo as estatísticas globais.

Em setembro de 2012, na Suécia, ocorreu o primeiro transplante de útero de mãe para filha. O procedimento duplo, anunciado pela Universidade de Gotemburgo, foi realizado em duas famílias: duas jovens suecas receberam o útero de suas respectivas mães. Segundo os responsáveis por esses procedimentos, as jovens receptoras deverão esperar um ano a partir da cirurgia antes de poder iniciar uma gravidez, por meio de fecundação in vitro. Por isso, somente será possível saber se os transplantes foram bem sucedidos em 2014.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade