Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Poluição do ar pode aumentar risco de ataque cardíaco

Problema ocorre em pacientes que já estavam propensos a sofrer infarto

Por Da Redação 21 set 2011, 11h42

A poluição do ar aumenta o risco de ataque cardíaco em pacientes que já sofrem de males do coração. É o que mostra uma pesquisa publicada na versão on-line do periódico médico British Medical Journal. De acordo com o estudo, as primeiras seis horas de exposição à poluição são marcadas pela evolução do risco de infarto em pacientes que já estavam propensos a sofrê-lo – já que a sujeira do ar funciona como um “acelerador” da evolução dos problemas cardíacos. As causas para esse aumento, no entanto, ainda não foram estabelecidas.

Dada a natureza transitória da elevação dos riscos, os pesquisadores especulam que o ataque cardíaco poderia ter acontecido de qualquer maneira, e foi apenas adiantado em algumas horas – um efeito da poluição conhecido como deslocamento (ou colheita) em curto prazo. Enquanto pesquisas estabelecidas concluíram que altos níveis de poluição estão associados a morte prematura por doenças cardíacas, a relação com um aumento nos riscos de ataque cardíaco ainda permanecia obscura.

Levantamento de dados – Durante a pequisa, Krishnan Bhaskaran, epidemiologista da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, e sua equipe revisaram 79.288 casos de ataque cardíaco, de 2003 a 2006, e a exposição de cada pessoa, de hora em hora, aos níveis de poluição atmosférica.

Os autores usaram o padrão UK National Air Quality Archive para investigar os níveis de poluentes específicos na atmosfera. Isso incluía partículas poluentes (PM10), monóxido de carbono (CO), dióxido de nitrogênio (NO2), dióxido de enxofre (SO2) e ozônio. Altos níveis de PM10 e NO2 são marcadores de poluição causada pelo tráfego, de acordo com Bhaskaran.

Dado que os autores não encontraram um aumento líquido no risco de ataque cardíaco durante um período de tempo mais longo, eles argumentam que pode haver “um potencial limitado para reduzir a carga global de infarto do miocárdio apenas pela redução da poluição. Mas isso não deve comprometer ações para controle da poluição do ar, que tem associação com um viés mais amplo da saúde, como mortalidade geral, respiratória e cardiovascular”.

Em um editorial que acompanha a pesquisa, Richard Edward e Simon Hales, da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, afirmam que, apesar da força do estudo, é possível que o verdadeiro efeito não tenha sido totalmente esclarecido – tanto pela utilização de medidas imprecisas quando pelo poder estatístico inadequado. “Considerando-se outras evidências de que a exposição à poluição aumenta a mortalidade em geral e a morbidade, o controle rigoroso dos níveis de poluentes deve permanecer forte”, disseram.

Clique nas perguntas abaixo para saber mais sobre problemas cardíacos:

  • Causas e sintomas
  • Prevenção e tratamento

Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital HCor. Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital HCor. Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital HCor. Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

Quais são os principais problemas cardíacos?

Como se caracterizam os principais problemas cardíacos?

O que é mal súbito?

(Fabiano – Colombo/Paraná)

Quais são as principais causas dos problemas cardíacos?

Quais problemas cardíacos são congênitos?

Quais são os problemas congênitos mais comuns?

O sal ajuda a controlar a pressão arterial?

Por que hoje os problemas no coração são a causa número 1 de mortes?

Quem tem colesterol alto tem mais chances de sofrer problemas cardíacos?

(Paula Estevam – São Paulo – SP)

Quais sinais podem indicar problemas no coração?

  • Quais são os principais problemas cardíacos?
  • Como se caracterizam os principais problemas cardíacos?
  • O que é mal súbito?

    (Fabiano – Colombo/Paraná)

    Continua após a publicidade
  • Quais são as principais causas dos problemas cardíacos?
  • Quais problemas cardíacos são congênitos?
  • Quais são os problemas congênitos mais comuns?
  • O sal ajuda a controlar a pressão arterial?
  • Por que hoje os problemas no coração são a causa número 1 de mortes?
  • Quem tem colesterol alto tem mais chances de sofrer problemas cardíacos?

    (Paula Estevam – São Paulo – SP)

  • Quais sinais podem indicar problemas no coração?

Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

A partir de que idade é preciso fazer exames e quais devem ser feitos?

(André Luis Silva, Caldas Novas – GO)

Quem é obeso deve procurar um cardiologista?

Que tipo de alimentação pode diminuir as chances de problemas cardíacos?

Quais os alimentos mais prejudiciais ao coração?

Como calcular corretamente a frequência cardíaca para a prática de exercícios físicos?

(Mel Falcão – Feira de Santana – BA)

Que tipo de cuidados as pessoas que já têm problemas cardíacos precisam ter?

Quem tem problemas cardíacos pode praticar esportes?

O que fazer para baixar ou aumentar a pressão arterial em situações de emergência?

Como ajudar uma pessoa que está sofrendo um ataque cardíaco?

  • A partir de que idade é preciso fazer exames e quais devem ser feitos?

    (André Luis Silva, Caldas Novas – GO)

  • Quem é obeso deve procurar um cardiologista?
  • Que tipo de alimentação pode diminuir as chances de problemas cardíacos?
  • Quais os alimentos mais prejudiciais ao coração?
  • Como calcular corretamente a frequência cardíaca para a prática de exercícios físicos?

    (Mel Falcão – Feira de Santana – BA)

  • Que tipo de cuidados as pessoas que já têm problemas cardíacos precisam ter?
  • Quem tem problemas cardíacos pode praticar esportes?
  • O que fazer para baixar ou aumentar a pressão arterial em situações de emergência?
  • Como ajudar uma pessoa que está sofrendo um ataque cardíaco?

*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.

Continua após a publicidade
Publicidade