Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

PF desarticula esquema de fraude em revalidação de diploma médico

Polícia investiga 41 pessoas suspeitas de usar diplomas falsos obtidos na Bolívia para conseguir a revalidação na Universidade Federal do Mato Grosso

Por Da Redação 18 out 2013, 12h17

A Polícia Federal (PF) realiza nesta sexta-feira a Operação Esculápio, que tem como objetivo desmantelar um esquema de uso de diplomas médicos e documentos falsos na Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Segundo a PM, 41 médicos bolivianos teriam apresentado diplomas fraudados para obter, na universidade, a revalidação necessária para atuarem no Brasil. Eles também teriam o objetivo de tentar ingressar no programa Mais Médicos.

Em nota, a PF informou que foram deferidos, pela 7ª Vara Criminal da Justiça Federal/MT, 41 mandados de busca e apreensão, que são cumpridos em quatorze estados. São eles: Mato Grosso, Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Rondônia, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Leia também:

Mais Médicos é aprovado pelo Senado e segue para sanção de Dilma

Revalidação do diploma de médicos formados no exterior será modificada

As investigações começaram após a UFMT ter informado à polícia que pessoas inscritas no programa de revalidação do diploma da universidade haviam apresentado documentos falsos.

A fraude foi descoberta quando a instituição telefonou para três universidades na Bolívia, Universidad Nacional Ecológica (UNE), Universidad Técnico Privada Cosmos (Unitepc) e Universidad Mayor de San Simon (UMSS), para confirmar a autenticidade de diploma dos inscritos no programa de revalidação que afirmavam ter se formado nas instituições. Durante a averiguação, foi constatado que 41 deles não haviam estudado ou concluído o curso de medicina nessas universidades.

Segundo a PF, os acusados serão intimados para prestar esclarecimentos. Se a acusação for comprovada, eles serão responsabilizados pelos crimes de uso de documento falso e falsidade ideológica.

Continua após a publicidade
Publicidade