Clique e assine com 88% de desconto

Os benefícios físicos e psicológicos da massagem

Dezenas de estudos vincularam a massagem a benefícios reais, incluindo redução da dor, da tensão, da depressão e melhora na fertilidade

Por Giulia Vidale - Atualizado em 27 dez 2019, 19h52 - Publicado em 27 dez 2019, 19h30

Massagem. Relaxante, modeladora, drenagem, terapêutica, aiurvédica, craniana, shiatsu – as modalidades são muitas e as indicações também. Desde que a busca por bem-estar ganhou papel de destaque na sociedade, essa prática milenar ganhou notoriedade e muitos adeptos. Assim como a procura aumentou, os benefícios associados à prática e os ‘males’ curados por ela também se multiplicaram. Mas, afinal, para que serve a massagem?

Dezenas de estudos – que remontam a várias décadas – vincularam a massagem a benefícios físicos e psicológicos reais. Um estudo australiano descobriu que uma massagem muscular de 10 minutos após um treino pode reduzir a dor em 30%. Outro estudo constatou que os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, caíram 31% após uma massagem, enquanto os níveis de hormônios do bem-estar, como dopamina e serotonina, aumentaram aproximadamente 30%.

Aliás, a redução da dor e o alívio da tensão e da depressão são os benefícios associados à massagem com evidências mais robustas. E não precisa nem pagar alguém para te massagear. Pesquisas mostraram que diferentes formas de auto-massagem ajudam a reduzir a dor muscular e melhorar os sintomas da dor.

“O toque da massagem é capaz de aliviar a tensão e a dor muscular, melhorar a circulação sanguínea e o sistema imunológico. Quando falamos de massagem de resultado imediato, também estamos falando de menos inchaço e redução de medidas.”, afirma a massoterapeuta Renata França, conhecida por desenvolver protocolos específicos com a união de diferentes técnicas de massagem.

Publicidade

Mas afinal, como uma simples massagem pode proporcionar tantas vantagens para a saúde? De acordo com Tiffany Field, diretora do Instituto de Pesquisa sobre Toque da Universidade de Miami, em entrevista à revista americana Time, a massagem aumenta o fluxo sanguíneo em áreas do cérebro associadas à regulação do humor e do estresse.

Quando estimulados, os receptores de pressão sob a pele aumentam a atividade do nervo vago, um componente importante do sistema nervoso humano que desempenha um papel nas funções autonômicas, como frequência cardíaca, respiração e digestão. O aumento da atividade nesse nervo pode ter, entre outros benefícios, um efeito calmante semelhante à meditação, o que explicaria a queda no cortisol e outros sintomas relacionados ao estresse.

Confira abaixo outros benefícios da massagem e seu mecanismo de ação.

Alívio da dor e combate depressão em pacientes com câncer

A massagem pode ser usada de forma eficaz como terapia complementar em pacientes com câncer para aumentar a qualidade de vida e melhorar o bem-estar da pessoa doente.

Publicidade

Um estudo publicado em 2004, com quase 1.300 pacientes, concluiu que a massagem pode reduzir a dor, náusea, fatiga, ansiedade e depressão em pacientes com câncer. Os efeitos se prolongaram por mais tempo em pacientes que receberam a massagem por 60 minutos.

Nesses casos, as mais indicadas seriam a massagem relaxante e a drenagem linfática. “O procedimento pode aliviar o desconforto de quem faz quimioterapia e precisa tomar muitos remédios”, explica Renata França, do Spa Renata França.

Para quem tem receio de que a massagem pode, de alguma forma, aumentar a probabilidade de metástase, a oncologista Elisa Ricardo, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, explica: “Não existe nenhuma chance da massagem causar metástase. A movimentação da pele e o estímulo da circulação não é responsável por espalhar células cancerígenas. Se fosse verdade que estimular a corrente sanguínea aumenta o risco de câncer, a gente não recomendaria o exercício físico”.

Vale ressaltar que, nesses casos, a massagem deve ser indicada pelo médico responsável pelo tratamento oncológico e cada caso deve ser avaliado atenciosamente pelo massoterapeuta escolhido. Em pacientes com câncer de mama, por exemplo, a drenagem consegue combater o inchaço nos braços, comum entre as mulheres que iniciam o tratamento.

Publicidade

Aliada ao tratamento de fertilidade

Para quem está tentando engravidar, a massagem pode ser uma importante e interessante aliada. “O estresse é um vilão para casais que sonham em ter filhos. Uma massagem relaxante é capaz de reduzir o cortisol e contribuir para a melhora da função reprodutiva feminina.”, explica o ginecologista e obstetra José Bento.

Além disso, a massagem fortalece o sistema imunológico e reduz os níveis de glicose e insulina na circulação. Tudo isso contribui para a restauração do equilíbrio dos hormônios femininos e ovulação em mulheres com endometriose e síndrome do ovário policístico (SOP), por exemplo, que são algumas das principais causas de infertilidade na mulher.

Qualquer massagem relaxante, feita por um profissional, poderia proporcionar esses efeitos, mas a massoterapeuta Renata França, conhecida pela famosa Miracle Touch, criou um protocolo de massagem específico para melhorar a fertilidade. Com o nome de Babymoon, a massagem levou oito meses para ser desenvolvida. É uma mescla de drenagem linfática e massagem relaxante que conta com 97 manobras diferentes e 1h20 de duração – a maior parte das sessões de massagem tem 1 hora de duração.

“A massagem como aliada da fertilidade deve proporcionar um relaxamento profundo, que contribui para a liberação de endorfina. É uma massagem indolor e sem incômodos, que dá a sensação de acolhimento. Esse relaxamento também diminui o nível do hormônio cortisol e aumenta os níveis de oxitocina.”, explica Renata.

Publicidade

De acordo com o ginecologista, a oxitocina é o principal hormônio responsável pelo parto e também beneficia a mulher que se prepara para a fertilização in vitro (FIV), por exemplo. “Todos esses fatores contribuem para aumentar as chances de sucesso no tratamento de fertilidade”, afirma o médico.

Entretanto, como toda massagem, é preciso alguns cuidados, principalmente se a mulher estiver sob tratamento de fertilidade. Quem iniciou a FIV, com a transferência do embrião para o útero, deve esperar 48 horas para receber a massagem e não deve realizar mais de duas massagens por semana. O procedimento também não é recomendado para mulheres com febre e processos infecciosos ou inflamatórios. Em caso de doenças, a massagem só poderá ser realizada com autorização médica.

Independente da finalidade desejada com a massagem, buscar um profissional especializado é fundamental. No caso de massagens estéticas, a escolha é fundamental para conquistas o resultado desejado. Se o motivo for a saúde, uma pessoa não qualificada pode piorar a condição em vez de melhorar.

Publicidade