Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

O mosquito da dengue ronda o Fashion Rio – mas o público ainda não sabe

Orientação sobre uso de repelentes, calças e camisas de manga comprida foi feita apenas para quem trabalha no backstage

Calças e camisas de manga longa não são o típico traje dos dias quentes no Rio de Janeiro. Mas na edição de verão do Fashion Rio, o salão de moda carioca aberto nesta segunda-feira na Marina da Glória, o figurino é altamente recomendável. A coordenação de backstage do evento enviou um email interno pedindo que modelos e equipes envolvidas no trabalho nos bastidores se protejam da ‘febre do momento’ na cidade, que vem acompanhada de dores pelo corpo, dor de cabeça e vômito – sintomas comuns da dengue. A parte deselegante do alerta é que o público que está à frente das passarelas não ficou sabendo – ainda – do risco de encontrar com o mosquito, reconhecido pelo corpo amarelado e pelas listras pretas. A organização do Fashion Rio informou, nesta tarde, que não foi emitido alerta aos frequentadores, nem há esse tipo de campanha prevista.

Diz o email da coordenação de backstage: “Comunicamos que o Rio de Janeiro está passando mais uma vez pelo problema do mosquito da dengue (…). Avisamos e orientamos para que todos tomem cuidados, usando relepentes, roupas que evitem o contato com o mosquito, optando por calças compridas, camisetas e camisas de manga longa. Pedimos que todos orientem suas equipes.”

A região da Glória, na Zona Sul do Rio, não está entre as mais críticas para casos de dengue e focos do mosquito. O problema maior da cidade está na Zona Oeste, onde o saneamento é precário. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, a Zona Sul do Rio é a que tem o menor índice de infestação do Aedes aegypti. De acordo com o último levantamento, realizado entre 10 e 16 de março, 13 em cada 1.000 imóveis vistoriados na Zona Sul do Rio tinham pelo menos um foco do inseto. A média geral na cidade é de 20 imóveis com mosquito para cada grupo de 1.000 residências.

Na Marina da Glória, no entanto, os barcos, que dão charme à paisagem são o perigo para a dengue. Com grande concentração de embarcações expostas à chuva, formam-se focos às escondidas, sob a cobertura dos barcos e com água à vontade. É o cenário perfeito para o Aedes: sombra, para o mosquito, água fresca, para o estouro dos ovos. A Marina da Glória tem uma equipe fixa de monitoramento que realiza inspeções regulares em busca de focos de dengue. Só este ano, 442 depósitos do mosquito foram eliminados no local. A última vistoria na Marina da Glória foi realizada na semana passada. A Secretaria Municipal de Saúde pede que denúncias sobre focos do mosquito sejam feitas pelo telefone 1746 ou pelo site da Saúde: site www.rio.rj.gov.br/web/smsdc.