Clique e assine a partir de 9,90/mês

Novo escândalo de alimentos com toxina na China

Um tipo de toxina cancerígena foi detectada em amendoins e óleos de cozinha. Em 2008, leite contaminado com melanina matou pelo menos seis bebês

Por Da Redação - 31 Dec 2011, 10h03

As autoridades de uma cidade do sul da China detectaram uma toxina cancerígena em amendoins e óleo de cozinha. O escândalo se soma ao caso do leite contaminado com melanina que matou, em 2008, pelo menos seis bebês e deixou 300.000 doentes.

O órgão regulador de alimentos, em Shenzhen, informou que foram constatados níveis excessivos de aflatoxinas em amendoins vendidos em três estabelecimentos e no azeite de cozinha utilizado em quatro restaurantes, informou a agência estatal China Nova.

O anúncio aconteceu depois da revelação, no final de semana passado, pela empresa de laticínios Mengniu, uma das líderes do setor, que as autoridades encontraram altos níveis de aflatoxinas em um lote de leite antes de ser posto à venda. A contaminação surgiu depois que vacas de uma criação do sudeste de China consumiram alimentos mofados.

As autoridades da província de Guangdong (onde fica Shenzhen) chegaram a retirar das prateleiras dos supermercados os óleos produzidos por três marcas, devido ao alto conteúdo desta substância cancerígena. As aflotoxinas são uma variedade de uma família de substâncias tóxicas produzidas por fungos, denominada micotoxinas. Já foram classificadas pelo menos 100 espécies de fungos que produzem micotoxinas, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Continua após a publicidade

Micotoxinas são mais comumente associadas a amendoim, milho, arroz, sementes de algodão, frutas secas, nozes, temperos, óleos vegetais crus, sementes de cacau, assim como leite e laticínios provenientes de gado que ingeriu ração contaminada. Estudos em animais mostram que as aflotoxinas estão entre os mais potentes carcinogênicos do fígado conhecidos.

O câncer de fígado é o quinto mais comum no mundo, causando em média 500 mil mortes por ano. As taxas de incidência em países subdesenvolvidos variam entre 2 a 10 vezes as dos países desenvolvidos; 76% dos casos são registrados na Ásia. Os fatores de risco mais importantes para o câncer de fígado são a exposição aos vírus das hepatites B e C, assim como o consumo de aflotoxinas.

(Com AFP)

Publicidade