Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Milionários americanos pagam para receber o sangue de jovens

Homens e mulheres de meia idade desembolsam até 27.000 reais pelas transfusões. É mais um capítulo na busca pela juventude eterna

Por Giulia Vidale 25 fev 2018, 11h44

A busca pela juventude eterna não para e a nova estratégia para alcançar esse objetivo pode não parecer muito agradável para a maioria das pessoas: transfusões de sangue jovem. A Ambrosia, uma startup de biotecnologia sediada no Vale do Silício, na Califórnia, oferece o procedimento a pessoas com mais de 35 anos que estejam dispostas a pagar até 8.000 dólares (cerca de 27.000 reais). A medida faz parte de um estudo clínico conduzido pela empresa com o objetivo de investigar os efeitos do plasma de jovens no combate a doenças do envelhecimento.

Entre os efeitos esperados com o tratamento estão a recuperação do vigor juvenil e a redução do risco de doenças associadas ao envelhecimento. A promessa faz sucesso entre quarentões, cinquentões e sessentões milionários. Em uma infusão, o voluntário recebe cerca de 1,5 litros de plasma proveniente de pessoas com idade entre 16 e 25 anos. A estratégia foi inspirada em estudos realizados em ratos que demonstraram benefícios significativos em roedores de idade avançada que receberam transfusões de plasma de animais mais jovens. Porém, a ausência de pesquisas científicas que comprovem esses benefícios em humanos e os riscos envolvidos causam controvérsia.

Assine agora o site para ler na íntegra esta reportagem e tenha acesso a todas as edições de VEJA:

Ou adquira a edição desta semana para iOS e Android.
Aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Continua após a publicidade
Publicidade