Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Johnson & Johnson: teste do imunizante no Brasil teve 12 vacinados

Estudos para desenvolvimento do imunizante foram pausados após um voluntário apresentar um efeito adverso grave que será investigado

Por Mariana Rosário Atualizado em 13 out 2020, 15h23 - Publicado em 13 out 2020, 10h33

Fontes ligadas ao estudo da vacina da Janssen-Cilag, braço farmacêutico da Johnson & Johnson afirmaram a reportagem de VEJA que apenas doze pessoas receberam aplicações dos imunizantes para Covid-19 integrantes dos ensaios clínicos de fase 3, em curso no país. Todos os participantes que receberam as doses vivem no Rio de Janeiro. O estudo teve os primeiros sinais de que seria paralisado na última segunda-feira, 12, após um voluntário de fora do Brasil apresentar um efeito adverso grave.

LEIA TAMBÉM
Será que eu já tive Covid-19?

Em nota, na manhã desta terça-feira, 13, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou que os testes também foram interrompidos no Brasil. Na publicação, a organização diz que os ensaios clínicos só serão retomados mediante autorização prévia, o que deve ocorrer somente após uma rigorosa análise de segurança realizada por um comitê independente. As aplicações no país foram iniciadas no último dia 9.

Inicialmente, os estudos no Brasil receberam aval para recrutar 7.560 voluntários com idades a partir de 18 anos. Foram autorizados estudos em dez estados mais o Distrito Federal. Até este momento, não estava prevista a transferência de tecnologia para nenhum centro de excelência brasileiro.

Continua após a publicidade
Publicidade