Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Gripe aviária: China descobre dois novos casos, incluindo uma morte

Desde domingo, o país já confirmou nove pessoas infectadas pelo H7N9, sendo que três delas morreram. Até então, essa cepa do vírus da gripe aviária nunca havia sido transmitida a seres humanos

A China encontrou dois novos casos, sendo que um deles resultou em morte, de infecção por uma nova cepa do vírus da gripe aviária, o H7N9. Os casos ocorreram na cidade de Hangzhou, próxima a Xangai, segundo informou nesta quarta-feira a televisão estatal chinesa, que não deu mais detalhes sobre os pacientes. Ao todo, já foram confirmadas nove infecções pelo vírus H7N9, que, até então, nunca havia sido transmitido a seres humanos. Dos sete outros casos, duas pessoas morreram, ambas em Xangai. As outras cinco estão em estado crítico em um hospital em Nanjing.

O Ministério da Agricultura da China disse que ainda não encontrou qualquer animal infectado com o H7N9 e acrescentou que possivelmente o vírus foi levado à China por aves migratórias. A China intensificou o nível de alerta desde que os casos vieram à tona e disse que está sendo transparente em lidar com o surto.

Primeiros casos – Neste domingo, a Comissão Nacional de Saúde de Planejamento Familiar (NHFPC, sigla em inglês) da China confirmou os três primeiros casos de infecção em seres humanos pelo vírus H7N9. Os dois homens contaminados, um de 27 e outro de 87 anos, morreram no início de março e uma mulher de 35 anos permanece em estado crítico. O órgão chinês informou que esses pacientes apresentaram tosse e febre e, depois, pneumonia e dificuldades para respirar. Outros quatro casos de infecção pelo H7N9 foram confirmados nesta terça-feira. Entre os pacientes, que são de cidades diferentes da província de Jiangsu, estão três mulheres de 45, 48 e 32 anos, e um homem de 83 anos.

O H5N1, outra cepa do vírus da gripe aviária, provocou mais de 300 mortes de humanos desde 2003. Segundo a OMS, a maioria dos tipos de vírus da gripe aviária não contamina seres humanos e a maior parte dos casos de infecção pelo H5N1 ocorreu a partir do contato com aves infectadas.

Transparência – A China tem um histórico negativo quando se trata de enfrentar más notícias. Muitas vezes elas são encobertas por funcionários temendo que possam atrair atenção indesejada de seus superiores e prejudicar as perspectivas de promoções. Em 2003, as autoridades inicialmente tentaram encobrir uma epidemia da Síndrome Respiratória Aguda Grave, que surgiu na China e matou cerca de um décimo das 8.000 pessoas infectadas em todo o mundo.