Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estudo prevê que ebola pode matar 90 000 na Libéria até dezembro

Até agora, OMS registrou 2 705 óbitos no país, que é o mais afetado da África pela atual epidemia

A epidemia de ebola pode explodir na Libéria, matando mais de 90 000 pessoas até o meio de dezembro, de acordo com um novo estudo publicado nesta quinta-feira na revista científica The Lancet Infectious Diseases.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) registrou, até esta quarta-feira, quase 10 000 casos de ebola no oeste africano, sendo que 4 868 resultaram em mortes. A Libéria é o país mais afetado, com 4 665 diagnósticos da doença e 2 705 óbitos.

Leia também:

Médico de Nova York é diagnosticado com o vírus ebola

Mali confirma o primeiro caso de ebola no país

A nova pesquisa se baseou em um modelo matemático de transmissão viral, que foi aplicado ao condado de Montserrado, o mais populoso da Libéria. De acordo com os autores, a estratégia global para enfrentar a doença é inadequada e, se não houver implementação rápida de um conjunto de medidas, até 15 de dezembro cerca de 171 000 pessoas estarão infectadas – diagnosticadas ou não -, representando 12% da população local. Até esta data, pelo mesmo modelo, mais de 90 000 morrerão.

Segundo os pesquisadores, essas medidas incluem a rápida adoção de mais unidades de tratamento da doença, aceleração na detecção da infecção e a distribuição de kits preventivos para os que aguardam internação. Se as ações forem implementadas até o fim deste mês, segundo o artigo, estima-se que até 98 000 casos podem ser evitados. Se a iniciativa for adiada até 15 de novembro, o modelo prevê que será possível evitar cerca de 54 000 casos.

(Com Estadão Conteúdo)