Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Efeito da vacinação? Novos casos de Covid-19 caem no Reino Unido

Contra todas as expectativas e tendências, o número de novos diagnósticos caiu consideravelmente na última semana

Por Giulia Vidale 29 jul 2021, 19h20

Após dois meses de aumento constante nos novos casos de Covid-19 no Reino Unido, há uma semana, o número de infecções diárias começou a cair de forma espontânea e surpreendente. Em 17 de julho, o pico da nova onda de infeções no país registrou 54.674 novos casos. Na semana passada, a média diária estava acima de 30.000, até que os registros começaram a cair, atingindo o menor número na terça-feira, 27, com 23.511 novos casos. Na quarta-feira, 28, houve um ligeiro aumento – foram 27.734 novas infecções – mas a média de sete dias continuou a cair.

A queda repentina nos números surpreende porque não foi feito nada para controlar a disseminação da doença. Pelo contrário. No dia 19 de julho, já em meio ao aumento das infecções, o primeiro-ministro Boris Johnson acabou com quase todas as medidas restritivas, incluindo a exigência de uso de máscaras e distanciamento social. Na quarta-feira,  28, o governo anunciou que visitantes totalmente imunizados dos Estados Unidos e da Europa poderiam viajar para a Inglaterra a partir de 2 de agosto sem precisar fazer quarentena. O governo decidiu que a defesa contra o vírus atualmente é uma “escolha pessoal”.

Especialistas em saúde pública, em conjunto com o governo, previram que os casos iriam aumentar, provavelmente até disparar, após a extinção das medidas. A expectativa era que, em breve, algumas restrições, como o uso de máscaras, precisariam ser retomadas. Como ocorreu nos Estados Unidos. No entanto, contra todas as previsões, os casos estão diminuindo.

Ainda é cedo para dizer se, de fato, a curva de novos casos no Reino Unido voltou a cair, ou se foi um acontecimento pontual. Tampouco há um consenso sobre o porquê isso está acontecendo agora. Segundo dados da Bloomberg, 69.9% da população do Reino Unido já recebeu ao menos uma dose da vacina. Destes, 56.3% estão totalmente imunizados. De acordo com dados do Office for National Statistics, nove em cada 10 pessoas no Reino Unido têm probabilidade de ter anticorpos contra o novo coronavírus, seja porque já tiveram contato com o vírus no passado ou porque foram vacinadas. Portanto, a queda repentina nas novas infecções pode indicar que o país já atingiu a tão falada – e sonhada – imunidade coletiva e finalmente começou a controlar a disseminação da doença.

Por outro lado, especialistas locais alertam para outras hipóteses para explicar a tendência inesperada: menos pessoas realizarem os testes de diagnóstico, com medo de ficarem impossibilitadas de viajar; o fim do Campeonato Europeu de futebol, a onda de calor que promove a realização de atividades ao ar livre e o início das férias escolares.

“É muito, muito importante que não nos deixemos levar por conclusões prematuras a respeito disso. […] As pessoas precisam continuar muito cautelosas e essa continua sendo a estratégia do governo”, disse Boris Johnson, em entrevista a alguns repórteres na terça-feira, 27.

Vacinação no Brasil

No Brasil, os índices continuam a melhorar e a vacinação a avançar. Mesmo assim, especialistas recomendam cautela e reforçam a importância da manutenção das medidas preventivas, incluindo uso de máscaras e distanciamento social. Nesta quinta-feira, 29, o Brasil alcançou 139,1 milhões de doses administradas: 47,1% da população já está vacinada com ao menos uma dose, destas 19,1% já estão totalmente imunizadas com duas doses ou com a injeção da Janssen.

Confira o avanço da vacinação no Brasil:

Continua após a publicidade
Publicidade