Clique e assine a partir de 9,90/mês

Covid-19: Maiores cidades de SP registram queda ou estabilidade em mortes

Municípios acima de 300 000 habitantes enfrentam alta de casos, embora boa parte do fenômeno possa ser explicado pelo maior número de testes realizados

Por Da Redação - Atualizado em 1 ago 2020, 21h18 - Publicado em 1 ago 2020, 21h11

Neste sábado, 1º, foram registrados 239 óbitos em São Paulo. Pela média móvel, o número ficou em 245,6. Embora a situação ainda seja preocupante, é possível afirmar que o estado conseguiu deixar a pior fase nos registros de mortes – pelo menos quando se analisam dados dos grandes municípios. Um levantamento de VEJA a partir da média móvel das 25 maiores cidades paulistas (com mais de 300.000 habitantes) mostra que 11 delas registram números menores de óbitos em relação à última quinzena. Outras oito conseguiram manter uma estabilidade – apenas seis apresentaram alta. Veja o gráfico de cada cidade abaixo.

No momento, o que mais preocupa São Paulo são os registros de casos. Na última quinzena, o Estado apresentou uma alta de 61,3% na média móvel de casos e as maiores cidades puxam a forte subida recente. Dos 25 municípios com maior número de habitantes de São Paulo, 21 deles registraram alta na última quinzena. Somente Osasco, Santos, Piracicaba e São Vicente ficaram estáveis. Nenhum apresentou queda nos números. Há vários fatores que ajudam a impulsionar a alta e nem todos eles são negativos. Exemplo disso é o aumento na quantidade de testes. Mas o comportamento de risco de parte da população e erros nas estratégias de flexibilização de alguns municípios também impactam nessa curva.

A média móvel semanal é calculada a partir da soma do número de casos e mortes nos últimos sete dias, dividida por sete, número de dias do período contabilizado – o que permite uma melhor avaliação ao anular variações diárias no registro e envio de dados pelos órgãos públicos de saúde, problema que ocorre principalmente aos finais de semana. O valor final, comparado com as últimas semanas e meses, dá uma noção mais ampla do aumento ou diminuição do contágio.

Confira a situação de cada uma das 25 maiores cidades de São Paulo na última quinzena:

Continua após a publicidade

MORTES

Em queda (11 cidades): São Paulo, Guarulhos, São Bernardo do Campo, Santo André, Osasco, Mauá, Mogi das Cruzes, Diadema, Itaquaquecetuba, São Vicente, Taubaté
Estável (8 cidades): Campinas, São José dos Campos, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Santos, Piracicaba, Carapicuíba, Bauru
Em alta (6 cidades): Sorocaba, Jundiaí, Franca, Praia Grande, Guarujá e Limeira

CASOS

Em alta (21 cidades): São Paulo, Guarulhos, Campinas, São Bernardo do Campo, São José dos Campos, Santo André, Ribeirão Preto, Sorocaba, Mauá, São José do Rio Preto, Mogi das Cruzes, Diadema, Jundiaí, Carapicuíba, Bauru, Itaquaquecetuba, Franca, Praia Grande, Guarujá, Taubaté, Limeira
Estável (4 cidades): Osasco, Santos, Piracicaba, São Vicente
Em queda (0 cidades): –

Publicidade