Clique e assine a partir de 8,90/mês

Coronavírus: Brasil ultrapassa a marca de 1.000 mortos

De acordo com novo boletim do Ministério da Saúde, foram confirmadas 115 mortes em apenas 24 horas; o número de casos subiu para 19.638

Por Da redação - Atualizado em 10 abr 2020, 17h01 - Publicado em 10 abr 2020, 15h52

De acordo com o levantamento divulgado nesta sexta-feira, 10, pelo Ministério da Saúde, o Brasil tem 1.056 mortos em decorrência de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. São 115 óbitos a mais em apenas 24 horas – no boletim de quarta-feira, 8, eram 941 mortos.

ASSINE VEJA

O vírus da razão O coronavírus fura a bolha de poder inflada à base de radicalismo. Leia também: os relatos de médicos contaminados e a polêmica da cloroquina
Clique e Assine

O número de casos confirmados subiu para 19.638, 1781 a mais do que o registrado na quinta-feira, 8. A taxa de letalidade passou de 5,3% para 5,4%. Apenas o estado de Tocantins não tem, até o momento, óbito pela doença.

Em números absolutos, a maior parte dos casos e mortes está em São Paulo, com 8.216 casos confirmados (equivalente a 41,8% dos casos no país) e 540 mortes (equivalente a 51,1%). No entanto, ao considerarmos o coeficiente de incidência, Amazonas é o estado mais afetado. São 23,3 casos por 100.000 habitantes. Em seguida estão Amapá (19,3 por 100.000), Distrito Federal (18,2), São Paulo (17,7), Ceará (16,1) e Rio de Janeiro (14,2). Todas estas regiões estão em “emergência” de acordo com a classificação do Ministério da Saúde, pois apresentam um coeficiente de incidência pelo menos 50% maior que o nacional. Atualmente o coeficiente nacional é de 9,3 por 100.000 habitantes.

Hospitalizações e grupos de risco

Do total de casos, 4.217 (11%) estão em estado grave, necessitando de internação em hospitais. Atualmente, dos 1.057 óbitos confirmados, 77% ocorreram em pessoas com mais de 60 anos e, 74% do total das vítimas apresentavam pelo menos um fator de risco.

Pessoas acima de 60 anos se enquadram no grupo de risco, mesmo que não tenham nenhum problema de saúde associado. Além disso, pessoas de qualquer idade que tenham comobirdades, como cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença neurológica ou renal, imunodepressão, obesidade, asma e puérperas, entre outras, também precisam redobrar os cuidados nas medidas de prevenção ao coronavírus.

Continua após a publicidade
Publicidade