Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

CoronaVac será quatro vezes mais cara que vacina da gripe

Segundo levantamento feito por VEJA, a vacina contra Covid-19 irá custar cerca de 60 reais a dose, enquanto a de influenza custa 15 reais

Por Mariana Rosário, Giulia Vidale Atualizado em 17 mar 2021, 17h42 - Publicado em 29 out 2020, 18h13

A CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac Life Sciences em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo, pode ser até quatro vezes mais cara do que a vacina da gripe, também produzida pelo Butantan. A dose da CoronaVac custaria ao Ministério da Saúde 10,3 dólares (cerca de 59 reais, na cotação do dólar desta quinta-feira, 29). Para fator de comparação, a dose do imunizante contra a gripe é fornecida por 15,14 reais.

O valor da CoronaVac constava em um ofício enviado pelo ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, ao diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, na semana passada, oficializando a intenção do governo de adquirir 46 milhões de doses da vacina. Entretanto, a possível compra logo foi desautorizada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Caso o acordo entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan para a compra da vacina contra o novo coronavírus seja algum dia oficializado, esse pode ser o imunizante mais caro fornecido pelo Instituto ao governo. Atualmente, o Butantan fornece seis vacinas para o Programa Nacional de Imunização (PNI): gripe, HPV, hepatite B, hepatite A, DTPa (contra difteria, tétano e coqueluche) e raiva. Destas, a mais cara é a da raiva, que custa 51,61 reais. A mais barata é a da hepatite B, com um valor de 1,9 real a dose.

Lembrando que o protocolo de imunização da CoronaVac exige a aplicação de duas doses da vacina, o que corresponde a um custo ainda maior0 reais por pessoa.

Nesta quinta-feira, 29, o Brasil registrou uma média móvel de 24.392 casos e 438 óbitos pela doença.

Continua após a publicidade
Publicidade