Clique e assine com até 92% de desconto

Combinação de drogas melhora tratamento do mieloma múltiplo

Quando combinadas, as drogas obatoclax e flavopiridol fazem com que as células cancerígenas “cometam suicídio”

Por Da Redação 16 ago 2012, 18h35

A combinação de duas drogas pode levar à morte dramática das células que causam o mieloma múltiplo, um tipo de câncer que atinge as células do plasma sanguíneo. Em um estudo publicado no periódico Cancer Research, pesquisadores do VCU Massey Cancer Center, nos Estados Unidos, afirmam que as drogas obatoclax e flavopiridol (já estudadas para o tratamento do câncer) promovem, quando ingeridas juntas, um tipo de suicídio celular conhecido como apoptose – levando à morte das células cancerígenas.

Saiba mais:

MIELOMA MÚLTIPLO

Tipo de câncer que se desenvolve na medula óssea afetando as células do plasma, líquido que compõe o sangue. É mais comum entre pacientes idosos. Entre os sintomas que indicam a doença estão anemia, alto nível de proteínas no sangue ou na urina, lesões ósseas, níveis elevados de cálcio no sangue e debilitação do sistema imunológico. O tratamento da doença pode ser feito com quimioterapia, radioterapia, transplante de medula e com uso de drogas tópicas.

O obatoclax é um agente experimental, que atualmente é estudado em diversos tipos de cânceres sanguíneos. Ele age desabilitando proteínas que evitam que as células cancerígenas entrem em apoptose. Já o flavopiridol age tanto bloqueando o crescimento das células cancerígenas, quanto reduzindo os níveis de proteínas antiapoptose.

“Existe uma necessidade urgente de terapias curativas para o mieloma múltiplo”, diz Grant. “Nossa esperança é que essa pesquisa irá estabelecer as regras para tratamentos novos e mais eficazes. Isso pode ajudar, potencialmente, outros tipos de cânceres do sangue.”

Pesquisa – Nos experimentos realizados em laboratório, a nova combinação de drogas aumentou dramaticamente a morte celular do mieloma múltiplo. Esses resultados foram confirmados em modelos animais onde as drogas aumentaram a sobrevivência de camundongos que estavam com o sistema imunológico comprometido com mieloma múltiplo humano. O flavopiridol, além de reduzir os níveis de proteínas antiapoptose, aumentou também a expressão de proteínas que induzem a apoptose – como as Bim, proteínas desencadeadoras da morte celular.

“A pesquisa baseia-se em quase uma década de trabalhos conduzidos por nosso laboratório. Esses estudos são focados na manipulação de mecanismos que levam à apoptose em condições hematológicas malignas”, diz Grant. “Nossa descoberta pode ter implicações imediatas para a formação de testes clínicos que usam combinações dessas drogas. Na verdade, planos para esse tipo de teste já estão em andamento.”

Continua após a publicidade
Publicidade