Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Cloroquina: Conselho Federal de Medicina não mudará posicionamento

Reação foi deflagrada após depoimento do ex-ministro da Saúde Nelson Teich à CPI da Pandemia que criticou a não reprovação do remédio no Brasil

Por Adriana Dias Lopes Atualizado em 6 Maio 2021, 21h13 - Publicado em 6 Maio 2021, 13h02

O Conselho Federal de Medicina (CFM) ratificou hoje que não mudará a postura em relação ao uso da cloroquina no Brasil. Diz Mauro Ribeiro, presidente da instituição: “O CFM tem acompanhado inúmeros estudos sobre o tema conduzidos ao redor do mundo. Contudo, até o momento, entende que não há evidências fortes o suficiente, ou seja, reconhecidas por sua alta evidência científica, justificando a mudança do Parecer 04/2020, onde delega ao médico e ao paciente, em comum acordo e baseados em suas prerrogativas constitucionais, a decisão sobre qual o tratamento a ser realizado.”

LEIA TAMBÉM: Covid-19: demora para consultar o médico está piorando quadro dos jovens

A reação foi deflagrada após o depoimento do ex-ministro da Saúde Nelson Teich à CPI da Pandemia, ontem, no qual criticou o CFM pela não reprovação do uso do medicamento. “Acho uma postura inadequada, porque pode estimular o uso de um remédio que a gente não tem comprovação, em condições em que o paciente pode estar mais exposto a não ter os cuidados necessários para o uso do medicamento. Então eu sou contrário”, disse Teich.

Mauro Ribeiro ainda afirmou: “O CFM respeita a opinião do ex-ministro e terá, em momento a ser definido, a oportunidade de apresentar esclarecimentos sobre o tema.”

Continua após a publicidade
Publicidade