Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

China confirma quarta morte por gripe aviária

Vítima era um homem de 48 anos que transportava frangos e patos. Casos confirmados de infecção pelo vírus H7N9 já chegam a 11

Por Da Redação - 4 abr 2013, 10h34

As autoridades de Xangai anunciaram nesta quinta-feira mais uma morte pelo H7N9, uma das cepas do vírus da gripe aviária, aumentando para quatro o número de falecimentos em decorrência do vírus. Desde o último domingo, já foram confirmados 11 casos da infecção – até então, o H7N9 nunca havia sido transmitido a seres humanos. Segundo a televisão estatal chinesa CCTV, a vítima, um homem de 48 anos da província de Jiangsu, trabalhava com transporte de frangos e patos.

O Ministério da Saúde da China informou que mobilizou recursos em todo o país para combater a nova cepa da gripe aviária e disse que vai comunicar rapidamente aos demais países e à sua própria população os detalhes sobre o H7N9. O país é criticado por ter sido muito lento ao informar sobre o surto e suspeitas de encobrir informações como no caso do vírus da Sars, em 2003.

Embora o H7N9 não pareça ser transmitido de um ser humano para o outro, as autoridades de Hong Kong levantaram um alerta preliminar e disseram estar tomando precauções no aeroporto. No Japão, os aeroportos colocaram cartazes em pontos de entrada para alertar a todos os passageiros de companhias aéreas da China a procurarem atendimento médico caso haja suspeita de gripe aviária. Além disso, o Vietnã proibiu as importações de aves chinesas.

Leia também:

Publicidade

Gripe aviária: China descobre dois novos casos, incluindo uma morte

China anuncia mais quatro casos raros de gripe aviária

Primeiros casos – Neste domingo, a Comissão Nacional de Saúde de Planejamento Familiar (NHFPC, sigla em inglês) da China confirmou os três primeiros casos de infecção em seres humanos pelo vírus H7N9. Os dois homens contaminados, um de 27 e outro de 87 anos, morreram no início de março e uma mulher de 35 anos permanece em estado crítico. O órgão chinês informou que esses pacientes apresentaram tosse e febre e, depois, pneumonia e dificuldades para respirar. Até esta quinta-feira, o número de pessoas infectadas chegou a 11, sendo que quatro delas morreram.

O H5N1, outra cepa do vírus da gripe aviária, provocou mais de 300 mortes de humanos desde 2003. Segundo a OMS, a maioria dos tipos de vírus da gripe aviária não contamina seres humanos e a maior parte dos casos de infecção pelo H5N1 ocorreu a partir do contato com aves infectadas.

Publicidade

(Com agências France-Presse e Reuters)

Publicidade