Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Células de sangue menstrual são transformadas em embrionárias

Por Da Redação - 25 out 2011, 15h15

Por AE

São Paulo – Médicos do Instituto Nacional de Cardiologia (INC), em parceria com o Instituto de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), conseguiram transformar células do sangue menstrual em células-tronco pluripotentes induzidas (iPS, na sigla em inglês) – reprogramadas para terem as mesmas características de células embrionárias.

Trata-se de um importante avanço nas terapias celulares, que prometem reparar tecidos danificados por doenças ou traumas, já que as células embrionárias são capazes de se transformar em outros tecidos.

A ideia dos pesquisadores é gerar e estudar as células do músculo cardíaco de duas pacientes que têm uma arritmia cardíaca rara, chamada síndrome do QT longo. A primeira tentativa será com mãe e filha – que já tiveram amostras do sangue menstrual colhidas. Por conta da doença, elas sofrem crises de arritmias e podem ter uma morte súbita.

Publicidade

�Com as células induzidas, vamos reproduzir a doença de mãe e filha �in vitro� e estudar as atividades elétricas envolvidas. Isso vai permitir entender o comportamento anormal das células e testar novas drogas�, explica o pesquisador Antonio Carlos Campos de Carvalho, coordenador de ensino e pesquisa do INC. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE

Publicidade