Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bactérias podem aumentar longevidade

Estudo sugere que micro-organismos presentes no trato digestivo reduzem risco de doenças crônicas

Por Matheus Deccache Atualizado em 2 ago 2021, 15h22 - Publicado em 2 ago 2021, 15h20

Um novo estudo publicado na revista científica Nature aponta que algumas bactérias presentes no trato digestivo podem contribuir para aumentar a longevidade. A pesquisa avaliou os hábitos de cidadãos japoneses com mais de 100 anos e descobriu que os micro-organismos produzem compostos envolvidos em processos metabólicos e também os associados à defesa do corpo.

Embora o senso comum é o de que a genética é a principal responsável pela longevidade, ela representa apenas 30% da equação que resulta em maior ou menor tempo de vida de acordo com cada indivíduo. Os outros componentes estão divididos em vários outros fatores, como alimentação, exercício físico, saúde mental e, mais recentemente, a qualidade  da microbiota (conjunto de micro-organismos presente em todo o sistema gastrointestinal). 

O estudo reuniu 160 centenários do Japão com média de idade de 107 anos. Os cientistas obtiveram amostras do microbioma dos idosos e as compararam com as extraídas de pessoas mais jovens. Uma das observações foi a diferença na composição dos ácidos biliares entre a população idosa. Os ácidos são metabolizados no fígado e têm como função ajudar na quebra das moléculas de gordura, fundamental para o bom funcionamento do organismo.Ainda que os voluntários  tenham apresentado sinais típicos da idade, a  maioria não apresentava doenças crônicas como obesidade, diabetes, hipertensão e alguns tipos de câncer.

A composição da flora intestinal é bastante sensível à mudanças na dieta.  Por isso, recomenda-se a ingestão diária de alimentos que a favoreçam, como iogurte, kefir, feijão, repolho e fibras.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade