Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Anticoncepcional em regime contínuo pode ser a melhor opção para atenuar cólica menstrual

Embora outras formas de tomar a pílula também reduzam os sintomas dolorosos, a ingestão ininterrupta surte o efeito com menos tempo de uso

Por Da Redação 16 ago 2012, 10h41

Fazer uso de pílula anticoncepcional em regime contínuo pode ser a melhor opção para mulheres que sofrem de cólicas menstruais atenuarem as dores. Segundo um novo estudo americano, esse método, que é utilizado quando a paciente toma os comprimidos sem obedecer aos intervalos entre uma cartela de pílula e outra, além de reduzir as dores, surte um efeito positivo mais rapidamente do que a ingestão dos comprimidos em regime cíclico.

Normalmente, a pílula anticoncepcional é ingerida durante um período de 21 dias e, depois, a mulher permanece sete dias sem tomar os comprimidos. É justamente nesse tempo em que vem a menstruação. Uma cartela pode ter 28 comprimidos, mas sete são placebo, e é recomendada para mulheres que se esquecem de reiniciar uma nova cartela. Quando regime é contínuo, a mulher inicia uma nova cartela no dia seguinte ao fim da última, não respeitando o intervalo. Nem sempre a paciente evita a menstruação: ela pode ter sangramentos leves enquanto toma a pílula ou até hemorragias mais graves – o que é mais incomum e deve levar a mulher imediatamente ao médico. Não há limite de tempo para o uso desse método.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Continuous Compared With Cyclic Oral Contraceptives for the Treatment of Primary Dysmenorrhea: A Randomized Controlled Trial

Onde foi divulgada: periódico Obstetrics and Gynecology

Quem fez: Romana Dmitrovic, Allen Kunselman e Richard Legro

Instituição: Universidade Estadual da Pensilvânia, Estados Unidos

Dados de amostragem: 38 mulheres

Resultado: Após seis meses, todas as mulheres que tinham cólicas menstruais apresentaram uma melhora nos sintomas dolorosos. No entanto, esse efeito positivo veio até três meses mais cedo entre aquelas que fizeram uso da pílula em regime contínuo

“Os contraceptivos orais são frequentemente prescritos para tratar as cólicas, já que a redução da menstruação é uma forma relativamente simples de aliviar essas dores. Porém, nós queríamos determinar se há uma diferença entre o regime cíclico e o contínuo desse método de tratamento com contraceptivos”, diz Richard Legro, da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos Estados Unidos.

Continua após a publicidade

Leia também:

Mais de 90% dos médicos brasileiros já receitaram anticoncepcional em regime contínuo

Pílula anticoncepcional atenua cólica menstrual

Para isso, ele e sua equipe selecionaram 38 mulheres que não faziam uso de nenhum método contraceptivo e que sofriam de dismenorreia, ou cólicas menstruais. Muitas pacientes que apresentam esse problema também têm episódios de náusea, diarreia, dor de cabeça e fadiga. Parte das participantes passou a fazer uso da pílula em regime cíclico e o restante, em regime contínuo. Elas foram acompanhadas durante seis meses. Os resultados foram publicados no periódico Obstetrics and Gynecology.

Após o período do estudo, todas as mulheres apresentaram uma melhora significativa em relação às dores decorrentes da cólica. No entanto, as participantes que haviam adotado o regime contínuo relataram esse alívio até três meses mais cedo. Isso se deve, segundo os pesquisadores, ao fato de o tratamento não ter interrupção. Eles explicam que, embora haja pouca diferença nos efeitos colaterais entre um método e outro, é importante que a paciente procure um médico antes de optar ou alterar o regime.

Opinião do especialista

Luciano Pompei

Ginecologista da Faculdade de Medicina do ABC e membro da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo)

“Outros trabalhos já haviam indicado que o método contraceptivo oral em regime contínuo é eficaz para melhorar os sintomas da cólica, mas a novidade dessa pesquisa é o fato de que ele o faz mais rapidamente do que em relação ao regime cíclico.

Não há uma pesquisa específica mostrando qual é o regime mais recomendado pelos médicos. Porém, um estudo que coordenei revelou que, quando os profissionais recomendam o regime contínuo, o motivo mais comum para que eles o façam é atenuar os sintomas da cólica das pacientes. O regime contínuo não oferece mais ou diferentes efeitos colaterais do que os oferecidos pelo regime cíclico. O fato de a mulher menstruar bem menos não é perigoso à saúde. Esse quadro somente deve ser preocupante se ela não está fazendo uso de nenhum método hormonal.

De maneira geral, todos os contraceptivos hormonais, exceto o DIU de cobre, podem ajudar a atenuar os sintomas da cólica. Mulheres que, por algum motivo, não utilizam os anticoncepcionais, podem recorrer aos anti-inflamatórios assim que menstruarem como forma de amenizar o problema.”

Continua após a publicidade
Publicidade