Clique e assine a partir de 9,90/mês

45% dos inscritos no Mais Médicos forneceram registro inválido

Polícia Federal investiga possível esquema de sabotagem ao programa. Candidatos devem regularizar a inscrição até a meia-noite deste domingo

Por Da Redação - 26 jul 2013, 17h55

Dos 18.450 profissionais inscritos no programa Mais Médicos, que pretende levar especialistas para os rincões do país, 8.307 (45%) forneceram números inválidos de registro em conselhos regionais de medicina (CRMs). Além disso, 1.270 inscrições partiram de médicos residentes, que precisam formalizar o desligamento do programa de especialização para garantirem participação no programa. Apenas 17% dos candidatos entregaram todos os documentos exigidos. Esses dados, divulgados nesta sexta-feira, fazem parte do balanço final do Ministério da Saúde em relação às inscrições no programa, encerradas à meia-noite desta quinta-feira. Ao todo, foram abertas 15.460 vagas.

Na última semana, a pasta já havia assumido a possibilidade de haver esquema de “sabotagem” ao programa, como classificou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Isso porque dados parciais das inscrições mostraram que, até 17 de julho, o número de inscritos já tinha superado a quantidade de vagas oferecidas. Além disso, segundo Padilha, a pasta recebeu denúncias de que médicos estariam se organizando pelas redes sociais para fazer inscrições mesmo sem interesse e depois desistirem do posto, apenas para perturbar o processo. A estratégia dos médicos seria atrasar a importação de profissionais estrangeiros, que serão convocados para as vagas que não forem preenchidas pelos brasileiros. O Ministério da Saúde acionou a Polícia Federal e o Ministério da Justiça, que investigam a denúncia.

Segundo o Ministério da Saúde, todos os médicos inscritos no programa têm até a meia-noite deste domingo para resolver eventuais erros no cadastro e concluir a entrega dos documentos necessários. Os procedimentos podem ser feitos por meio do site da pasta. Os profissionais também devem indicar seis cidades onde desejam trabalhar, por ordem de preferência.

Vagas – De acordo com o ministério, 3.511 municípios brasileiros aderiram ao programa – o equivalente a 63% de todas as prefeituras do país. A maior taxa de adesão dos municípios foi observada na região Norte, onde 73% das cidades aderiram ao programa. Em seguida, estão as regiões Sul (68%), Nordeste (66%), Centro-Oeste (60%) e Sudeste (55%). Segundo o balanço, 1.920 candidatos declararam ser estrangeiros.

Continua após a publicidade

O Ministério da Saúde informou que em 1º de agosto será divulgada a relação de médicos inscritos e que apresentaram o CRM válido e os municípios para os quais serão designados. Depois da divulgação, esses profissionais deverão assinar um termo de compromisso, e só depois as escolhas serão publicadas no Diário Oficial da União. O segundo mês de adesão será aberto no dia 15 de agosto.

Publicidade