Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

45% dos inscritos no Mais Médicos forneceram registro inválido

Polícia Federal investiga possível esquema de sabotagem ao programa. Candidatos devem regularizar a inscrição até a meia-noite deste domingo

Por Da Redação
26 jul 2013, 17h55

Dos 18.450 profissionais inscritos no programa Mais Médicos, que pretende levar especialistas para os rincões do país, 8.307 (45%) forneceram números inválidos de registro em conselhos regionais de medicina (CRMs). Além disso, 1.270 inscrições partiram de médicos residentes, que precisam formalizar o desligamento do programa de especialização para garantirem participação no programa. Apenas 17% dos candidatos entregaram todos os documentos exigidos. Esses dados, divulgados nesta sexta-feira, fazem parte do balanço final do Ministério da Saúde em relação às inscrições no programa, encerradas à meia-noite desta quinta-feira. Ao todo, foram abertas 15.460 vagas.

Na última semana, a pasta já havia assumido a possibilidade de haver esquema de “sabotagem” ao programa, como classificou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Isso porque dados parciais das inscrições mostraram que, até 17 de julho, o número de inscritos já tinha superado a quantidade de vagas oferecidas. Além disso, segundo Padilha, a pasta recebeu denúncias de que médicos estariam se organizando pelas redes sociais para fazer inscrições mesmo sem interesse e depois desistirem do posto, apenas para perturbar o processo. A estratégia dos médicos seria atrasar a importação de profissionais estrangeiros, que serão convocados para as vagas que não forem preenchidas pelos brasileiros. O Ministério da Saúde acionou a Polícia Federal e o Ministério da Justiça, que investigam a denúncia.

Segundo o Ministério da Saúde, todos os médicos inscritos no programa têm até a meia-noite deste domingo para resolver eventuais erros no cadastro e concluir a entrega dos documentos necessários. Os procedimentos podem ser feitos por meio do site da pasta. Os profissionais também devem indicar seis cidades onde desejam trabalhar, por ordem de preferência.

Vagas – De acordo com o ministério, 3.511 municípios brasileiros aderiram ao programa – o equivalente a 63% de todas as prefeituras do país. A maior taxa de adesão dos municípios foi observada na região Norte, onde 73% das cidades aderiram ao programa. Em seguida, estão as regiões Sul (68%), Nordeste (66%), Centro-Oeste (60%) e Sudeste (55%). Segundo o balanço, 1.920 candidatos declararam ser estrangeiros.

O Ministério da Saúde informou que em 1º de agosto será divulgada a relação de médicos inscritos e que apresentaram o CRM válido e os municípios para os quais serão designados. Depois da divulgação, esses profissionais deverão assinar um termo de compromisso, e só depois as escolhas serão publicadas no Diário Oficial da União. O segundo mês de adesão será aberto no dia 15 de agosto.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.