Yunes recebeu R$ 1 milhão de lobista da Odebrecht, diz jornal

Ex-assessor especial e amigo de Temer recebeu a quantia em dinheiro das mãos de Lúcio Funaro em seu escritório de advocacia em São Paulo

Por Da redação - Atualizado em 22 dez 2016, 11h46 - Publicado em 22 dez 2016, 11h31

O lobista Lúcio Funaro entregou a José Yunes, ex-assessor especial do governo, 1 milhão de reais em dinheiro vivo oriundo da Odebrecht, segundo informações do jornal O Estado de São Paulo desta quinta-feira. Yunes, que era um dos auxiliares mais próximos do presidente Michel Temer, além de ser seu amigo de longa data, pediu demissão do cargo de assessor especial da Presidência da República após vir à tona delação do ex-executivo da companhia Claudio Melo Filho.

Melo Filho narrou em depoimento para a Lava Jato revelado por VEJA uma reunião em 2014 em que Temer teria pedido dinheiro a Marcelo Odebrecht para o PMDB. Dos 10 milhões de reais, 6 milhões foram para campanha de Paulo Skaf e 4 milhões de reais para o ministro Eliseu Padilha distribuir. Padilha pediu a Lúcio Funaro que fizesse a entrega de 1 milhão de reais a Yunes.

Leia também:

O ex-assessor de Temer, que esperava receber o dinheiro de um desconhecido, foi surpreendido com o lobista no seu escritório em São Paulo. Os dois não se conheciam pessoalmente, mas Yunes sabia quem era Funaro, segundo o jornal.

Publicidade

Por meio de sua assessoria, Padilha disse que “não pediu” nada a Lúcio Funaro. Temer já confirmou ter participado da reunião com Marcelo Odebrecht, quando diz ter pedido “doação eleitoral” para o PMDB. Yunes não foi localizado para comentar o assunto. Funaro está preso desde julho pela Lava Jato sob suspeita de comandar com o ex-deputado Eduardo Cunha esquema de arrecadação de propinas de grandes empresas.

Na delação de Melo Filho, ele revela que Padilha lhe contou que uma parte dos 10 milhões de reais era destinada ao ex-presidente da Câmara dos Deputados e ex-parlamentar Eduardo Cunha, preso na Lava Jato.

Publicidade