Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Weintraub já está nos Estados Unidos, diz irmão do ex-ministro

A exoneração do ministro da Educação ainda não foi oficializada pelo governo; ele assumirá um posto no Banco Mundial

Por Da Redação Atualizado em 20 jun 2020, 11h20 - Publicado em 20 jun 2020, 10h58

Ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub já está nos Estados Unidos. A informação foi divulgada na manhã deste sábado pelo irmão de Abraham, Arthur Weintraub, assessor especial da Presidência da República. “Obrigado a todos pelas orações e apoio. Meu irmão está nos EUA”, escreveu Arthur no Twitter.

Na sexta-feira, o ex-ministro da Educação publicou em suas redes que estava deixando o país “o mais rápido possível”. “Quero ficar quieto, me deixem em paz, porém, não me provoquem!”, escreveu.

Abraham Weintraub anunciou a saída do Ministério da Educação na última quinta-feira. Ele deixou a pasta após a famosa reunião ministerial em que defendeu a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e depois de reiterar o posicionamento em conversa com militantes bolsonaristas. A ala militar do Planalto pressionou pela demissão do ministro.

+ Noblat: Por que Weintraub quis deixar país às pressas

Apesar de estar já em outro país, a exoneração de Weintraub não foi oficializada pelo governo no Diário Oficial da União. Ele é alvo de investigação no Supremo no inquérito que investiga a propagação de fake news – o Ministério da Justiça chegou a apresentar um pedido de habeas corpus para retirá-lo da investigação, o que foi negado. O ex-ministro também é investigado pelo crime de racismo contra chineses. Na última sexta-feira, o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) pediu à Corte que apreendesse o passaporte de Weintraub, justamente para evitar que ele deixasse o país em meio às ações.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

Próximo ao presidente Jair Bolsonaro,  Abraham Weintraub teve uma espécie de saída honrosa: ganhou o cargo de diretor do Banco Mundial, em Washington. Antes de assumir a função, porém, o nome dele tem de ser chancelado pela instituição.

Continua após a publicidade

Publicidade