Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vélez promete priorizar educação básica e combate ao marxismo cultural

Alinhado ao discurso do presidente Jair Bolsonaro, novo ministro terá secretaria para alfabetização e afirmou que instituições foram 'tomadas' pela esquerda

O novo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, tomou posse nesta quarta-feira 2 prometendo priorizar a educação básica e o combate ao analfabetismo durante a sua gestão no cargo. Alinhado ao discurso do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Vélez defendeu o combate a um domínio que o pensamento de esquerda teria imposto à educação brasileira, o que chamou de marxismo cultural.

Reestruturando as secretarias da pasta, extinguiu as divisões que cuidavam dos sistemas de ensino e de diversidade e inclusão, criando as secretarias de Alfabetização e de Modalidades Especializadas – esta última deve assumir a educação de pessoas com deficiência, listada por ele com outra das prioridades. Para promover a habilidade de ler e escrever, prometeu reforçar as creches e pré-escolas, a educação infantil, a permanência estudantil e o uso de novas tecnologias.

Assumindo o MEC, Vélez citou a “retórica marxista” e a “ideologia de gênero”, as discussões sobre gênero e sexualidade em sala de aula, como exemplos do que considera agressões aos valores familiares brasileiros que precisam ser vencidas. “Combateremos com denodo o marxismo cultural, hoje presente em instituições de educação básica e superior. Trata-se de uma ideologia materialista, alheia aos nossos mais caros valores de patriotismo e de visão religiosa do mundo”, criticou, identificando esse fenômeno como tendo origem externa ao Brasil.

“Jair Messias Bolsonaro prestou atenção à voz entrecortada de pais e mães reprimidos pela retórica marxista que tomou conta do espaço educacional. A agressiva promoção da ideologia de gênero somou-se à tentativa de derrubar nossas mais caras tradições pátrias, nessa tresloucada onda globalista”. Como referências que o guiarão na condução da pasta, os filósofos Olavo de Carvalho, ideólogo que patrocinou a nomeação, e Antonio Paim.

Colombiano de nascimento naturalizado brasileiro desde 1997, Vélez Rodriguez é professor emérito da Escola de Comando e Estado Maior do Exército. Ele se formou em Filosofia pela Universidade Pontifícia Javeriana em 1964, graduou-se em Teologia no Seminário Conciliar de Bogotá em 1967, concluiu o mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) em 1974, e o doutorado em Filosofia pela Universidade Gama Filho em 1982.

Professor associado da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o futuro ministro é autor de A Grande Mentira – Lula e o patrimonialismo petista, publicado em 2015.