Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Três sacrifícios no altar do pragmatismo político de Lula

Presidente escanteou um importante aliado e demitiu servidores criticados pelo Centrão para facilitar um acordo com o deputado Arthur Lira

Por Daniel Pereira Atualizado em 8 Maio 2024, 12h41 - Publicado em 3 mar 2024, 20h09

Uma reportagem da nova edição de VEJA detalha os termos do acordo de paz firmado entre o presidente Lula e o deputado Arthur Lira (PP-AL), comandante da Câmara. Para facilitar o acerto, o governo revogou trecho de uma medida provisória que reonerava dezessete setores da economia e assumiu o compromisso de criar um cronograma de liberação de emendas parlamentares. Já Lira declarou que não colocará em votação pautas-bomba e reafirmou a disposição de regulamentar a reforma tributária.

Além dessas questões legislativas importantes, o pacto também envolveu uma série de sacrifícios realizados por Lula a fim de agradar o presidente da Câmara e o notório Centrão.  Sem deixar digitais evidentes na operação, o governo agiu para que o senador Renan Calheiros (MDB-AL), desafeto de Lira, não assumisse a relatoria da CPI da Braskem no Senado. Formalmente criada para apurar os danos provocados pela empresa ao explorar sal-gema em Maceió, a comissão era encarada por Renan como uma forma de desgastar politicamente Lira e políticos aliados a ele, como o prefeito da capital alagoana, João Henrique Caldas.

Aliado de Lula, Renan ficou contrariado com a decisão e culpou “pressões externas” por seu revés. Já uma pessoa ligada a ele declarou a VEJA, sob a proteção do anonimato, que deixá-lo fora da relatoria foi uma maneira de Lula agradar a Lira sem ter muito custo.

Demissões por encomenda

De olho na harmonia com a Câmara, o Ministério da Saúde demitiu o secretário de Atenção Primária, Nésio Fernandes, após Lira e líderes partidários reclamarem dos critérios adotados pela pasta para a liberação de emendas de deputados e senadores. Desde o ano passado, o presidente da Câmara e o Centrão sonham comandar a Saúde, hoje chefiada por Nísia Trindade. Segundo o ministério, a demissão foi uma mera questão de ajuste na equipe, sem nenhuma ligação com questões políticas. Lira também alega que não tem relação com o caso. 

Em outra coincidência, caiu o assessor José Francisco Manssur, do Ministério da Fazenda, que capitaneou a regulamentação do mercado de apostas esportivas no Brasil. O Centrão sempre quis tirá-lo de cena, mas a pressão aumentou depois de VEJA revelar que ele relatou ao ministro Fernando Haddad que um deputado da base governista teria pedido 35 milhões de reais a uma associação de empresas de apostas. O deputado em questão era Felipe Carreras, um dos quadros mais próximos a Arthur Lira. Na época, Carreras negou enfaticamente que tenha pedido propina às empresas.

Com a regulamentação das chamadas bets definida, Manssur perdeu o cargo. A Fazenda alega que foi a pedido. Ele confidenciou a amigos que essa versão não é verdadeira. A necessidade de votos favoráveis no Congresso selou seu destino.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.