Clique e assine a partir de 9,90/mês

TJ-MG analisa hoje último recurso de Azeredo no mensalão mineiro

Filiado ao PSDB, ex-governador de Minas Gerais pode ser preso para cumprir pena de mais de vinte anos por desviar dinheiro para sua campanha de 1998

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 22 Maio 2018, 14h55 - Publicado em 22 Maio 2018, 11h35

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) julga nesta terça-feira, 22, embargos de declaração apresentados pelo ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB) contra a condenação de vinte anos e um mês de prisão, pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro, por envolvimento no mensalão mineiro.

Este é o último recurso possível à defesa em segunda instância – se for rejeitado, Azeredo pode ter sua prisão decretada.

Para evitar que o julgamento fosse adiado, o TJ-MG substituiu um dos desembargadores responsáveis pelo julgamento. O motivo é a apresentação de um atestado médico pelo desembargador Eduardo Machado. Não foi informado o problema de saúde pelo qual passa o magistrado. Ele será trocado por Fernando Caldeira Brant.

Segundo o TJ-MG, o recurso de Azeredo só pode ser analisado com a presença de todos os cinco desembargadores da 5ª Câmara Criminal. A convocação do substituto, que pertence à 4ª Criminal, foi feita na sexta-feira, 18.

Continua após a publicidade

Eduardo Machado votou a favor de Azeredo no julgamento dos embargos infringentes, que poderiam influir na execução da pena. Na sessão, o tucano foi derrotado por 3 votos a 2. O ex-governador de Minas Gerais nega as acusações.

Publicidade