Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Temer vê ‘momento difícil’ na política e prega respeito à Constituição

Durante a posse do novo presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, emedebista ressaltou 'organização' no país e falou em 'esperança e otimismo' em ano eleitoral

Em discurso na posse de Dyogo Oliveira na presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o presidente Michel Temer (MDB) reconheceu que o Brasil atravessa um momento difícil do ponto de vista político. Sem citar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Temer pregou a “organização” no país, com respeito à Constituição e às regras do direito. O presidente encerrou seu breve pronunciamento pregando “esperança e otimismo” em um ano que marcará a transição de cargos-chave, com as eleições gerais de outubro.

Michel Temer ainda exaltou o agora pré-candidato à Presidência Henrique Meirelles, atribuindo ao ex-ministro da Fazenda a responsabilidade pelas conquistas econômicas de seu governo. “Tenho uma equipe na área econômica que deu os melhores resultados para o país. Avançamos enormemente em pouco tempo e implementamos as bases para o crescimento nesses quase dois anos de governo”, disse o presidente.

Um dos avanços citados por Temer foi a atuação do BNDES na parte social, especificamente na segurança pública. Segundo o presidente, os bancos públicos, ao contrário dos privados, devem ter função social.

Oliveira quer celeridade no BNDES

Em sua fala após a cerimônia de posse, Dyogo Oliveira disse que, inicialmente, manterá os atuais diretores do banco de fomento. De acordo com o novo presidente do BNDES, o planejamento estratégico da instituição será revisto e novas metas serão traçadas, mas as metas de desembolso serão mantidas. O importante é que o banco ganhe celeridade em suas decisões, frisou.

Oliveira prometeu dedicação e foco no processo de digitalização do banco para ser mais ágil. Segundo ele, ainda não está decidido se isso exigirá o aumento da representação do BNDES nos estados, mas é relevante ficar mais próximo dos clientes.

“O que é mais importante é a velocidade para resolver e implementar. Vamos dinamizar com muita qualidade e transparência tudo o que é feito”, afirmou Dyogo Oliveira, destacando que a redução dos juros é uma grande oportunidade para o banco. “A empresa pode decidir pagar mais caro por um empréstimo que saia mais rápido”, completou.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Acho que com a prisão do Lula, o país segue em paz e em ordem. As ameaças são feitas pelos de sempre, mas já não convencem ninguém. Sobre a eleição presidencial, discordo daqueles que dizem que ela se tornou mais imprevisível após a prisão do corrupto. Pelo contrário. São poucos os candidatos capazes de se comprometer de não indultá-lo. Esse será um grande diferencial. Artigo recente do Merval Pereira (O Globo) alerta para acordos subterrâneos de apoio do PT à candidatos que prometerem indulto ao criminoso.

    Curtir