Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Temer diz não ter intenção de continuar na política após 2018

Em entrevista concedida à RedeTV!, o presidente disse: "Já cumpri meu papel" e também reafirmou o desejo de ver as reformas aprovadas

Por Da redação Atualizado em 5 Maio 2017, 19h11 - Publicado em 5 Maio 2017, 12h37

O presidente Michel Temer (PMDB) afirmou que não pretende continuar na vida política após terminar o mandato, em 2018. Ele também reforçou que não pretende concorrer a um novo mandato presidencial. “Aposentar-me nunca, jamais, mas eu não tenho intenção de continuar a atividade política, já cumpri meu papel”, afirmou em entrevista à RedeTV! gravada na última terça-feira e exibida na noite desta quinta.

Temer voltou a dizer que espera aprovar as reformas até o fim do mandato. “Só espero que as reformas deem certo e que não haja necessidade de pedirem para eu continuar”, disse.

O presidente afirmou ainda que acredita não ter errado durante seu mandato, que assumiu após o afastamento da petista Dilma Rousseff, em maio de 2016. “É possível que eu tenha errado aqui e acolá, mas não sinto que tenha errado”, disse. Temer falou que, se cometeu erros, foram acidentais e não propositais.

Renan: ‘idas e vindas’

Temer também comentou a relação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) com o governo. Segundo o presidente, o comportamento de Renan se deve às preocupações do senador com Alagoas, sua base eleitoral. “Eu compreendo isso”, completou o presidente. “Primeiro minhas homenagens ao trabalho dele, mas, em segundo lugar, eu quero registrar que o Renan é de idas e vindas. Ele já foi muitas vezes e voltou. Eu estou esperando que ele volte”, afirmou.

Quando perguntado se acredita que Renan voltará ao governo, Temer afirmou que “eu não descreio disso, não, eu acho que é possível que ele volte”. O presidente evitou se posicionar sobre uma saída de Renan da posição de líder do PMDB no Senado. Ele enfatizou que essa é uma decisão da bancada do partido.

Temer disse ainda que os próprios colegas de Renan não estão tranquilos com a conduta do líder. “Na verdade os senadores dizem ‘poxa, mas o governo é nosso, o governo é do PMDB’.”

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês