Clique e assine a partir de 9,90/mês

Temendo por família, Delcídio volta ao Senado na semana que vem

Em entrevista a jornal, senador disse que não sabe como será recebido na volta à Casa. Ele citou colegas como Aécio Neves, Renan Calheiros e Jader Barbalho em sua delação premiada

Por Da Redação - 16 Mar 2016, 10h05

Após a homologação de sua delação premiada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e da revelação, feita pelo site de VEJA, de que o ministro da Educação, Aloízio Mercadante, atuou para silenciá-lo, o senador Delcídio do Amaral (afastado do PT-MS) disse ao jornal O Estado de S. Paulo que deve voltar ao Senado na semana que vem, quando termina sua licença médica.

Em sua delação premiada, Delcídio citou os colegas Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR), Eunício de Oliveira (PMDB-CE), Edison Lobão (PMDB-MA), Jader Barbalho (PMDB-PA) além do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). Sobre como será recebido no retorno ao trabalho, o senador afirmou que “é uma incógnita, claro. Por isso que a gente tem que avaliar bem. Tem que deixar maturar um pouco. Acho que é melhor”.

Delcídio também disse que, embora “pessoalmente” não tema por sua vida, vai conversar com seus advogados sobre a segurança de sua família. “Eu tenho filha jovem, eu tenho muitas preocupações. Minha mãe vive no pantanal, vive numa fazenda”, relata o senador, que comparou a situação à época em que presidiu a CPI dos Correios, “mas agora, pela gravidade do momento é muito pior”.

LEIA MAIS:

Continua após a publicidade

EXCLUSIVO: governo tentou comprar o silêncio de Delcídio do Amaral

‘Profeta do caos’, Delcídio classifica Mercadante como ‘amigo da onça’

(da redação)

Publicidade