Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sergio Moro prevê criação de posto de ombudsman no governo Bolsonaro

Cargo deve servir para ouvir denúncias de empresários que tenham recebido pedidos de propina

O ministro da Justiça Sergio Moro afirmou a VEJA, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, que sugerirá ao ministro da Economia Paulo Guedes a criação de um posto de ombudsman para atender o setor privado. O objetivo é que o cargo sirva para receber denúncias de empresários que tenham recebido pedidos de propina de agentes públicos e queiram denunciá-los.  “Ainda precisamos ver como isso poderia ser feito. Mas vou sugerir ao Paulo Guedes. Nós já temos ombudsman em órgãos públicos. Mas essa pode ser uma opção interessante”, disse Moro.

A medida teria como objetivo não apenas combater a corrupção, mas também fomentar o controle interno da conduta de servidores. A medida já foi aplicada em países como Colômbia e Ucrânia. Diferentemente de uma denúncia criminal, a denúncia ao ombudsman serviria como medida de contingência, prevenindo focos de desvios antes de se concretizarem. 

Segundo Moro, o setor privado terá papel fundamental no combate à corrupção após a Lava Jato. O ministro citou o exemplo do grupo de empresários sicilianos que fundaram o movimento “Adio Pizzo” (adeus extorsão) para denunciar o pagamento de propina à máfia italiana.

“O setor privado tem grande responsabilidade nisso. Não só eles deveriam fazer a coisa certa, mas também se unir para censurar quem tomar atitudes erradas”, afirmou, durante o painel “Restaurando a confiança”, do qual participou, em Davos, na manhã desta terça-feira 22.