Clique e assine a partir de 9,90/mês

Renan elogia o vice: ‘Jorge não é petista, é suprapartidário’

Contrariando membros do próprio partido, Jorge Viana (PT-AC) foi um dos responsáveis pela articulação que manteve Renan na presidência da Casa

Por Da redação - Atualizado em 8 dez 2016, 14h41 - Publicado em 8 dez 2016, 13h01

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), elogiou a atuação do vice-presidente Jorge Viana (PT-AC) na “solução da crise”. Viana foi um dos principais responsáveis pela articulação junto aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que mantiveram Renan no comando da Casa em julgamento realizado ontem. Segundo Renan, o petista “cumpriu um papel extraordinário em todos os momentos da crise”.

Para isso, Viana contrariou os membros do próprio partido, que queriam assumir a presidência do Senado para conseguir adiar a votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que estabelece um limite para os gastos públicos. “Jorge não é petista, é uma instituição suprapartidária”, disse Renan no plenário. Ele afirmou ainda que Viana sempre coloca os “interesses do país” na frente dos seus.

“Em nome do Senado e da democracia, seu papel ficará registrado na história”, afirmou o peemedebista. “Todos ganham, o Judiciário, o Legislativo e o Executivo. Ganha, sobretudo, a democracia, graças à dedicação de Jorge Viana”, finalizou Renan.

Jorge Viana agradeceu a Renan pelos cumprimentos e afirmou que não fez nada mais que seu papel. “Procurei fazer o que todo vice deve fazer: ser vice e trabalhar para exercer o mandato apenas em uma situação excepcional, o que não era o caso”, afirmou Viana, aproveitando para alfinetar o atual presidente Michel Temer. Ele também disse que a situação no Senado foi muito diferente do que houve na Câmara, com o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Continua após a publicidade

De acordo com Viana, qualquer passo que ele desse poderia agravar a crise. Ele agradeceu as palavras de Renan e fez questão de dizer que, durante todo o período de incerteza que se instaurou sobre a presidência do Senado, ele não se colocou como presidente, tampouco tratou sobre nova pauta de votação com o PT, seu partido, que integra a oposição.

“Agradeço a confiança de Vossa Excelência (Renan Calheiros) e espero cumprir o papel que o plenário me deu, o de ser o vice”, afirmou Jorge Viana. O senador tem uma relação próxima com Renan e, durante o afastamento, tentou não se posicionar como detentor do cargo.

(Com Estadão Conteúdo) 

Publicidade