Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Renan e Cunha acertam pauta de votações comum

Presidentes da Câmara e do Senado se encontraram nesta segunda-feira. Segundo eles, reforma política será prioridade das duas Casas

Os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), reuniram-se nesta segunda-feira para tratar de uma pauta de votações comum às duas Casas. Eles acertaram que a reforma política será prioridade, ao lado de uma “agenda socioeconômica”. E decidiram criar regras definitivas para a apreciação de vetos presidenciais.

O começo do mandato de Eduardo Cunha à frente da Câmara foi marcado pela postura independente em relação ao governo. Com a intenção de juntar esforços com o Senado e evitar que projetos aprovados em uma casa fiquem parados em outra, os danos ao Executivo podem ser potencializados.

Renan não deu detalhes sobre a pauta aprovada: “É uma agenda socioeconômica que garanta as conquistas do povo brasileiro e priorize exatamente a reforma política”, disse ele após o encontro.

Leia também: Tucano e petista batem boca no Senado por impeachment

A dupla também tratou da criação de uma CPI mista para investigar a corrupção na Petrobras. Seria um segundo grupo de trabalho dentro do Congresso, além da já encaminhada CPI exclusiva da Câmara para tratar do tema. Renan disse que a mobilização dos senadores por uma CPI mista é saudável: “Nós achamos que as instituições preventivamente precisam tratar das crises. Acho que essa harmonização entre Câmara e Senado vai devolver o caráter saneador dessa instituições”.

Cunha também explicou que a ideia é abolir o voto de papel nas apreciações de vetos e, além disso, abrir a possibilidade de votações em destaque (fora do conjunto geral): “A proposta é fazer uma célula eletrônica com destaques para votar em painel de acordo com o tamanho dos partidos, como é aqui na Câmara hoje”. Se a regra for aprovada na reunião de líderes na quarta-feira, deve ser aplicada na próxima sessão do Congresso, na terça-feira seguinte ao Carnaval.

TVEJA: ‘Comigo ninguém vai precisar ir ao Procon’, diz Cunha