Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PT e MDB eram sócios na divisão da propina de Belo Monte, diz MPF

De acordo a força-tarefa da Lava Jato, o ex-ministro Antonio Palocci atuava como 'porta-voz' na cobrança das empreiteiras e articulação de pagamentos

PT e MDB atuavam como sócios na divisão da propina paga pelas empreiteiras responsáveis pelas obras da usina hidrelétrica de Belo Monte. Segundo o procurador Athayde Ribeiro Costa, do Ministério Público Federal (MPF), os dois partidos dividiam o dinheiro pago pelas empresas na proporção de 45% a 45%. Os 10% restantes eram destinados ao ex-ministro Delfim Netto, que teria atuado na estruturação do consórcio vencedor da licitação de Belo Monte, o Norte Energia.

“Delfim Netto, em conjunto com Bumlai [José Carlos Bumlai, preso pela Operação Lava Jato], ajudou o governo federal a estruturar o Consórcio Norte Energia, que foi formado por diversas empresas que a rigor não teriam capacidade para o empreendimento”, disse Costa, nesta sexta-feira (9) em entrevista coletiva.

Na sequência, o Norte Energia acabou fazendo a subcontratação de outro consórcio, formado pelas gigantes Andrade Gutierrez, Odebrecht e Camargo Corrêa para tocar a obra. As empreiteiras menores, que formavam o contrato original, tiveram seus percentuais na obra reduzidos, mas continuaram a lucrar. Em troca, deveriam realizar pagamentos às duas legendas e ao ex-ministro.

Na coletiva, o procurador afirmou que o “porta-voz” do governo federal no esquema foi o ex-ministro e na época deputado federal, Antônio Palocci. “Ele pediu para direcionar os pedidos de propina, parte ao PT para ao MDB. Em um segundo momento, Palocci pediu que 10% do valor de 1% do contrato fosse direcionado a Antonio Delfim Netto.”

As investigações do MPF e da PF apontam que cerca de R$ 15 milhões teriam sido repassados a Delfim diretamente e por meio de empresas de fachada ligadas a ele e ao sobrinho Luiz Appolonio Neto. A Justiça já bloqueou R$ 4,4 milhões nas contas do ex-ministro. “Eram valores mascarados em contratos fictícios de consultorias, que efetivamenten nunca foram prestados.”

O procurador revelou a estratégia das empreiteiras para pressionar o governo. “Elas interrompiam o pagamento de propina como forma de pressionar para que os aditivos fossem assinados”, disse o procurador.

Veja também

Outro lado

Em nota, a defesa do ex-ministro Delfim Netto afirmou que ele “não ocupa cargo público desde 2006 e não cometeu nenhum ato ilícito em qualquer tempo. Os valores que recebeu foram honorários por consultoria prestada”.

O PT afirma que as acusações “não têm o menor fundamento”. “Na medida em que se aproximam as eleições, eles [procuradores da Lava Jato] tentam criminalizar o partido, usando a palavra de delatores que buscam benefícios penais e financeiros”.

O MDB também afirma não ter recebido “propina nem recursos desviados no Consórcio Norte Energia”. O partido diz “lamentar que uma pessoa da importância do ex-deputado Delfim Netto esteja indevidamente citado no processo” e que acredita “que a verdade aparecerá no final”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. news da hora

    Carmen , Raquel , Fux e os ministros decentes tem que se afastar de Lula e seus petralhas . Essa mancha será eterna .

    Curtir

  2. news da hora

    O povo trabalhador Brasileiro está pagando a maior conta de corrupções da história da humanidade , efetuada por Lula , Renan , Dirceu , Color , Dilma e cias .

    Curtir

  3. Eu acho que a mídia pode dar um descanso aos seus leitores e parar de informar os que dizem os denunciados ou apontados como falcatruadores. É uma dose cavalar de repetição. É sempre a mesma coisa. Já virou mantra. Eu acredito que isso também irrita outros leitores. Eu, pelo menos, fico fulo com essas respostas padronizadas. Deixam-me, como se diz, de saco cheio.

    Curtir

  4. alfredo lucio saback soares de quadros

    finalmente chegaram naquele que serviu a todos os senhores. tal qual maluf foi íntimo e colaborador dos ditadores, da direita e da esquerda festiva comandada pelo futuro hóspede do cinco estrelas do paraná.
    algo que deve ser louvado é a integridade numérica do delfim. conhecido na ditadura como o dr quinzinho ;diziam que era o percentual cobrado por ele sobre as obras .
    como à época da ditadura os gastos com obras era bem menor, resolveu continuar no número da sorte, conforme notícias, cobrando quinze.
    quinze milhões de reais.
    ps: sobrinho ? hummmmmmmmmm

    Curtir

  5. Carlos Aurélio

    Há assuntos mais interessantes para debatermos. Por exemplo. Vamos eliminar todos os nomes de vagabundos que se travestiram de políticos pra roubar nosso suado dinheiro.

    Curtir

  6. Carlos Aurélio

    Dose cavalar de repetição será aturar o roubo descarado de bandidos travestidos de políticos que fingem administrar o país.

    Curtir

  7. Carlos Aurélio

    Tá de saco cheio de ver denúncias? Vá pescar sem-vergonha.

    Curtir