Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PSB garante vaga de vice. E confirma hoje apoio a Alckmin

Acordo foi firmado na quinta-feira, e praticamente exclui a possibilidade do PSD de Kassab integrar a coligação com o PSDB. Rede vai indicar senador por SP

PSDB e o PSB firmaram nesta quinta-feira um acordo para que o partido de Eduardo Campos ocupe a vaga de vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin na disputa pelo governo de São Paulo. O apoio do PSB paulista à reeleição de Alckmin será formalizado em convenção da sigla nesta sexta-feira. O nome do escolhido para a vaga, contudo, só deve ser divulgado em 30 de junho, mesmo dia em que Aécio Neves prometeu revelar o nome do vice em sua chapa na campanha pelo Planalto.

Um dos nomes cotados para a chapa de Alckmin é o do deputado Márcio França, ex-secretário de Turismo do tucano. Ele negocia com Campos, porém, a possibilidade de atuar nos bastidores, como coordenador da campanha em São Paulo. Fontes ouvidas pelo site de VEJA afirmam ainda que a Rede, grupo de Marina Silva, vice na chapa do ex-governador de Pernambuco na disputa pelo Planalto, vai indicar um candidato a senador por São Paulo.

Campos não deve participar da convenção estadual do PSB nesta sexta, mas enviará um representante para chancelar o acordo. Essa decisão afasta o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) da coligação com o PSDB, já que ele também pleiteava a vaga de vice. Neste final de semana o PSB realiza convenções em dois outros importantes colégios eleitorais: Rio de Janeiro e Minas Gerais. Enquanto integrantes do PSB estarão reunidos na Assembleia Legislativa durante a manhã, Campos participará da gravação do programa da Luciana Gimenez, da Rede TV. Marina, por sua vez, preferiu ir à outra convenção da sigla, no Amazonas, para oficializar a candidatura do deputado Marcelo Ramos ao governo do Estado.

Miro – O impasse sobre qual palanque Eduardo Campos e Marina Silva vão ocupar no Rio de Janeiro continua. O deputado federal Miro Teixeira (Pros-RJ) anunciou nesta quinta-feira a desistência de sua candidatura ao governo do Rio de Janeiro. Teixeira divulgou uma carta um dia depois da visita de Campos e Marina ao Rio, ocasião em que o apoio havia sido reforçado com o surgimento de rumores de que Teixeira não se candidataria.

A coligação PSB-Pros tem sido motivo para troca de farpas entre os partidos: enquanto Teixeira diz que o apoio não saiu do papel devido à falta de interesse da executiva do PSB do Rio, o PSB afirma que o Pros não se mostrou disposto a levar a parceria adiante. Agora, os pré-candidatos Anthony Garotinho e Lindbergh Farias são vistos como opções por atenderem aos anseios dos deputados do Pros.

(Com Estadão Conteúdo)