Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Professores mantêm greve e ocupação da Câmara do Rio

Cerca de 160 docentes pernoitaram na Casa, e 50 permanecem no plenário para pressionar vereadores e o prefeito a reformular o plano de cargos e salários

Por Da Redação 27 set 2013, 13h21

Os professores municipais do Rio de Janeiro decidiram nesta sexta-feira manter a ocupação do plenário da Câmara dos Vereadores e a greve, que dura quase dois meses. Segundo o Sindicato Estadual de Profissionais de Educação (Sepe), que também representa os docentes do município, 160 pessoas pernoitaram na Casa, e 50 ainda permanecem no local.

Cerca de 30 manifestantes estão acampados do lado de fora do Palácio Pedro Ernesto, no Centro. As laterais da Câmara, por onde entram os vereadores, também estão ocupadas. A categoria é contra o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração enviado em regime de urgência pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB). O Sepe diz que a proposta só beneficia 10% dos profissionais e não valoriza o tempo de serviço.

Leia mais:

Leia mais: Eduardo Paes recorre a aliados para conter greve de professores

Por causa da ocupação, foi cancelada a audiência pública que discutiria na manhã desta sexta-feira as remoções na cidade. Todos os trabalhos da Câmara estão suspensos. Na quinta-feira, um primeiro grupo de 50 professores entrou no plenário para impedir que fosse dado prosseguimento à votação do plano. A segurança da Câmara impediu a entrada de novos manifestantes, e um grupo forçou a passagem pulando a Tribuna de Imprensa e tomando o plenário.

Continua após a publicidade

Após a invasão, o presidente da Casa, Jorge Felippe (PMDB), decretou o fim da sessão e marcou a votação para a próxima terça-feira. Os professores decidiram que vão ocupar a Câmara até terem suas reivindicações atendidas pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB). Eles também pedem reunião com Felippe, que foi embora na quinta-feira sem recebê-los.

LEIA TAMBÉM:

Invasão da Câmara põe Eduardo Paes na mira dos protestos

‘Uoston, we have a problem’: quem é o homem de Eduardo Paes na CPI dos Ônibus

CPI dos Ônibus começa com tumulto e protestos no Rio

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)