Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

PMDB cobra apoio do Planalto para reabilitar Renan

Essa é a 'conta' que o PT deve pagar por retirar cargos importantes do aliado

Por Da Redação 18 jan 2011, 07h58

O PMDB já apresenta ao Planalto a conta pela perda de poder na distribuição de cargos do novo governo. O partido do vice-presidente Michel Temer quer o apoio da presidente Dilma Rousseff e do PT para a reabilitação do senador Renan Calheiros (AL) – que renunciou à presidência do Senado em 2007, na esteira do escândalo que explodiu após a revelação, por VEJA, de que o peemedebista tinha contas pessoais pagas por um lobista.

De acordo com a edição desta terça-feira do jornal O Estado de S. Paulo, os peemedebistas querem ainda que o atual presidente do Senado, José Sarney, concorra sozinho à reeleição e que o comando da Eletronorte seja devolvido à legenda. A ideia do PMDB é que Sarney seja eleito presidente da Casa até 2012 para ser, então, sucedido por Renan.

A crise entre PT e PMDB, deflagrada pela exclusão dos peemedebistas da partilha de postos do chamado segundo escalão, acirrou-se nesta semana, com a decisão da presidente Dilma de fazer uma “varredura” no setor elétrico. Insatisfeita com o loteamento de cargos nas estatais do setor, Dilma acertou com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, a reorganização generalizada dessa área.

A decisão resultou na troca do comando da Eletrobrás, hoje presidida por Antonio Muniz Filho, afilhado político de Sarney. Ele será substituído por Flávio Decat. Quando a troca tiver sido concretizada, Sarney vai pleitear a ida de Muniz para a Eletronorte.

Continua após a publicidade
Publicidade