Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Planalto compromete R$ 43 bilhões pela reforma da Previdência

Apesar de PMDB e PTB decidirem obrigar seus deputados a apoiar a proposta, o governo ainda não tem os votos necessários para aprovar a medida

O governo federal já comprometeu 43 bilhões de reais, a serem gastos nos próximos anos, para aprovar a reforma da Previdência, segundo informações do jornal O Estado de S.Paulo. Entretanto, apesar do esforço, o dinheiro ainda não foi suficiente para garantir uma base sólida que dê ao Planalto tranquilidade na contabilidade de votos a favor da medida. Até o momento, somente o PMDB e o PTB decidiram obrigar seus deputados a apoiar a proposta.

Mesmo partidos com controle de ministérios, como o PSD de Henrique Meirelles e Gilberto Kassab, além do DEM, ainda não decidiram se vão apoiar ou não a proposta. O PP, no comando do Ministério da Cidade, Saúde e Agricultura, não obrigará seus deputados a votar a favor da reforma, mas garantiu 90% de votos favoráveis a bancada.

Segundo informa o jornal, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já cogita a possibilidade de a proposta não ser aprovada antes das eleições do ano que vem. Entretanto, segundo fontes do mercado, ele teria afirmado confiar que a reforma pudesse passar no ano de 2019, com um texto até melhor do que o atual.

Além disso, o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), informou na quinta-feira 7 que a votação foi marcada para o dia 18 de dezembro. Todavia, ainda há o risco de esvaziamento do Congresso por causa da decisão do presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (PMDB-CE), de convocar a sessão para o dia 12 com o objetivo de votar o orçamento de 2018.

A avaliação de técnicos do governo é de que o presidente Michel Temer (PMDB) se precipitou, pondo em risco o ajuste fiscal . A preocupação da equipe econômica é que o aumento das despesas, principalmente em 2018, comprometa o teto de gastos, que limita o avanço das despesas à inflação. Além disso, renúncias de receitas podem deixar o governo sem margem de manobra para cumprir a meta fiscal em caso de qualquer frustração nas receitas.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sérgio Pereira de Souza

    A matéria já diz tudo, o governo está falsificando notas de R$2,00 riscando um zero da nota de R$20,00, fica cada dia mais claro que é não essa reforma que vai melhorar contas nem sequer da previdência, pois a suposta economia só virá em alguns anos. Economia essa suspeita com essa matéria, pois gastar(sem retorno pelo jeito) mais de 40bi pra economizar uns outros 46bi se justifica??? Claro que não, fica então a suspeita de que se quer mudar as regras não de privilegiados, mas de massa salarial capaz de render bons negócios aos bancos com previdência privada…

    Curtir

  2. Celso Ferreira

    A regra é Clara, quem votar não volta

    Curtir

  3. Celso Ferreira

    A regra é clara, quem votar não volta.

    Curtir