Clique e assine a partir de 8,90/mês

PF acha documentos em cômodo secreto na casa de lobista

Agentes também recolheram obras de arte na residência de Adir Assad

Por Da Redação - 17 mar 2015, 08h49

A Polícia Federal encontrou farta documentação em um compartimento secreto mantido na residência do lobista Adir Assad, em São Paulo. No local, foram apreendidas também obras de arte, assim como na casa do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque.

Investigado desde 2012 pelas autoridades por envolvimento em esquemas de corrupção e desvios em contratos públicos, ele foi um dos presos preventivamente na décia fase da Operação Lava Jato, batizada de Que País é Esse. O delegado da PF Márcio Anselmo, que integra a força-tarefa da Lava Jato, explicou que era um cômodo com passagem secreta. “Um cômodo secreto, oculto, com prateleiras onde foi apreendida ampla gama de documentos e bens de alto valor.”

Leia também:

Como funciona a rede de corrupção de Adir Assad, rei dos laranjas e dos caixas de campanha

MP diz que grupo de Assad ‘lavou’ R$ 40 mi

Duque, fiel escudeiro do PT, volta a ser preso na Lava Jato

As telas apreendidas na casa de Assad somam-se à coleção de 131 obras encontradas na casa de Duque. A compra de obras de arte é um dos expedientes mais usuais no processo de lavagem de dinheiro. A suspeita é que Renato Duque teria lavado dinheiro de propinas por meio de obras de arte. “Considerando o aparente profissionalismo na prática da lavagem de dinheiro e que, por conseguinte, é razoável concluir que pode-se tratar de produto de crime lavado, autorizo a apreensão destes bens”, decretou o juiz Sérgio Moro.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade