Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

PDT apoiará França em SP e aproxima PSB de Ciro

Para o ex-ministro Carlos Lupi, multiplicação de palanques em que as legendas estão juntas reforça participação de candidatos no palanque do pedetista

Por Da Redação 26 jul 2018, 15h07

O PDT vai anunciar, em convenção estadual realizada nesta quinta-feira, o apoio à pré-candidatura do governador Marcio França (PSB) ao governo de São Paulo. Segundo o presidente do partido, Carlos Lupi, a ideia é receber, em troca, uma vaga na chapa majoritária de França, seja a de vice ou uma das vagas ao Senado.

Questionado se isso implica que França dará palanque para o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e também para o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), Lupi disse entender que não vai haver divisão, por conta do apoio do tucano ao ex-prefeito João Doria (PSDB). “O Alckmin virou ‘Doria-dependente’ aqui em São Paulo e colocou o França em segundo plano. Então tenho esperança que ele se convença que o palanque dele é o do Ciro.”

A pré-campanha de Márcio França à reeleição ainda não divulgou a composição completa da chapa. O que se sabe até agora é que o vereador Mário Covas Neto (Podemos), filho do falecido ex-governador Mário Covas, vai ser um dos candidatos ao Senado. A outra vaga tende a ficar com o PDT. Para a vice, a expectativa é que seja escolhida uma mulher, independentemente do partido.

Presidência

Questionado sobre as negociações entre os dois partidos sobre as eleições presidenciais, Lupi disse que já há acordos em oito estados e que aguarda a definição oficial da sigla. “Não percebo resistência a Ciro no PSB. Se estivermos em tantos palanques juntos, esses candidatos vão participar do palanque de quem? Dos adversários?”, questionou.

Divididos desde a morte do ex-governador Eduardo Campos em 2014, os socialistas adiaram um encontro previsto para quarta-feira, quando deveriam colocar a voto a posição da legenda nas eleições de 2018. Hoje, a maior resistência a uma coligação com o PDT vem de Pernambuco, onde o governador do estado, Paulo Câmara (PSB), pretende apoiar a candidatura de Lula.

Em caso de acerto entre os dois partidos, o mais provável é que o PSB indique o vice de Ciro, posição para a qual é cotado o ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda, hoje pré-candidato ao governo de Minas Gerais.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade