Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

O ranking do ‘custo’ do voto em capitais com prefeitos já eleitos

Prefeito reeleito de Palmas (TO), Amastha é o campeão neste quesito, com uma média de 44,94 reais por voto

Por João Pedroso de Campos Atualizado em 22 out 2020, 17h30 - Publicado em 3 out 2016, 18h37

Os oito prefeitos eleitos em primeiro turno nas capitais brasileiras gastaram um total de 24,9 milhões de reais em suas campanhas. João Doria Jr. (PSDB), o vencedor em São Paulo, foi o que mais gastou: 13.456.377 reais. Considerando os pouco mais de três milhões de votos que o tucano recebeu na capital paulista, entretanto, ele é apenas o quinto no ranking do “custo” do voto nas capitais, com média de 4,36 reais.

O líder isolado neste quesito é o prefeito reeleito de Palmas (TO), Amastha (PSB), que gastou três milhões de reais e recebeu 68.634 votos, média de 44,94 reais por voto. Em seguida vêm Teresa Surita (PMDB), com 9,41 reais por voto em Boa Vista (RR), e ACM Neto (DEM), que “investiu” 4,92 reais a cada voto recebido em Salvador (BA). Ainda à frente de Doria aparece Luciano Cartaxo (PSD), reeleito em João Pessoa (PB), com um custo médio por voto de 4,68 reais.

Os três prefeitos eleitos cujos votos “custaram” menos são Marcus Alexandre (PT), em Rio Branco (AC), com 39 centavos por voto, Firmino Filho (PSDB), reeleito em Teresina (PI), com 2,79 reais de média, e Carlos Eduardo (PDT), de Natal (RN), com 3,12 reais por voto recebido.

Veja abaixo quanto “custou” cada voto nas capitais onde as eleições acabaram ontem:

 

Continua após a publicidade
Publicidade