Clique e assine a partir de 9,90/mês

O que dizem as empresas investigadas pela PF

OAS, Mendes Junior, Engevix, Queiroz Galvão, Odebretch, UTC e Camargo Corrêa foram alvo da sétima fase da Operação Lava Jato da PF

Por Da Redação - 14 nov 2014, 17h43

Sete das nove construtoras na mira da Operação Lava Jato da Polícia Federal, algumas com dirigentes presos nesta sexta-feira, afirmaram que estão colaborando com as autoridades. Leia abaixo as notas oficiais das empresas.

Leia também:

Operador do PMDB distribuiu US$ 8 milhões na Petrobras, segundo delator

FHC diz se envergonhar do que o PT fez com a Petrobras

Continua após a publicidade

Entenda a Operação Lava Jato da Polícia Federal

Mendes Júnior – “Em relação à operação da Polícia Federal que está em curso hoje, a Mendes Júnior esclarece que está colaborando com as investigações e contribuindo para o acesso às informações solicitadas. Até o final desta manhã, a empresa não tinha conhecimento sobre mandados de prisão e nenhum de seus executivos foi preso.”

OAS – “A OAS informa que foram prestados todos os esclarecimentos solicitados e dado acesso às informações e documentos requeridos pela Polícia Federal, em visita à sua sede em São Paulo. A empresa está à inteira disposição das autoridades e vai continuar colaborando no que for necessário para as investigações.”

Engevix – “A empresa, por meio dos seus advogados e executivos, prestará todos os esclarecimentos que forem solicitados.”

Continua após a publicidade

Odebrecht – “A Polícia Federal esteve hoje (14/11) no escritório da Odebrecht no Rio de Janeiro para cumprimento de mandado de busca e apreensão de documentos, expedido no âmbito das investigações sobre supostos crimes cometidos por ex-diretor da Petrobras. A equipe foi recebida na empresa e obteve todo o auxílio para acessar qualquer documento ou informação buscada. A Odebrecht reafirma que está inteiramente à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos sempre que necessário.”

Camargo Corrêa – “A Construtora Camargo Corrêa repudia as ações coercitivas, pois a empresa e seus executivos desde o início se colocaram à disposição das autoridades e vêm colaborando com os esclarecimentos dos fatos.”

UTC Engenharia – “A UTC colabora desde o início das investigações e continuará à disposição das autoridades para prestar as informações necessárias.”

Queiroz Galvão – “A Queiroz Galvão reitera que todas as suas atividades e contratos seguem rigorosamente a legislação em vigor e está à disposição das autoridades para prestar quaisquer esclarecimentos necessários.”

Continua após a publicidade

Galvão Engenharia – “A Galvão Engenharia tem colaborado com todas as investigações referentes à Operação Lava-Jato e está permanentemente à disposição das autoridades para prestar quaisquer esclarecimentos necessários.”

Iesa – Não se manifestou

Publicidade