Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

O que dizem as empresas investigadas pela PF

OAS, Mendes Junior, Engevix, Queiroz Galvão, Odebretch, UTC e Camargo Corrêa foram alvo da sétima fase da Operação Lava Jato da PF

Por Da Redação
14 nov 2014, 17h43

Sete das nove construtoras na mira da Operação Lava Jato da Polícia Federal, algumas com dirigentes presos nesta sexta-feira, afirmaram que estão colaborando com as autoridades. Leia abaixo as notas oficiais das empresas.

Leia também:

Operador do PMDB distribuiu US$ 8 milhões na Petrobras, segundo delator

FHC diz se envergonhar do que o PT fez com a Petrobras

Entenda a Operação Lava Jato da Polícia Federal

Continua após a publicidade

Mendes Júnior – “Em relação à operação da Polícia Federal que está em curso hoje, a Mendes Júnior esclarece que está colaborando com as investigações e contribuindo para o acesso às informações solicitadas. Até o final desta manhã, a empresa não tinha conhecimento sobre mandados de prisão e nenhum de seus executivos foi preso.”

OAS – “A OAS informa que foram prestados todos os esclarecimentos solicitados e dado acesso às informações e documentos requeridos pela Polícia Federal, em visita à sua sede em São Paulo. A empresa está à inteira disposição das autoridades e vai continuar colaborando no que for necessário para as investigações.”

Engevix – “A empresa, por meio dos seus advogados e executivos, prestará todos os esclarecimentos que forem solicitados.”

Odebrecht – “A Polícia Federal esteve hoje (14/11) no escritório da Odebrecht no Rio de Janeiro para cumprimento de mandado de busca e apreensão de documentos, expedido no âmbito das investigações sobre supostos crimes cometidos por ex-diretor da Petrobras. A equipe foi recebida na empresa e obteve todo o auxílio para acessar qualquer documento ou informação buscada. A Odebrecht reafirma que está inteiramente à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos sempre que necessário.”

Camargo Corrêa – “A Construtora Camargo Corrêa repudia as ações coercitivas, pois a empresa e seus executivos desde o início se colocaram à disposição das autoridades e vêm colaborando com os esclarecimentos dos fatos.”

Continua após a publicidade

UTC Engenharia – “A UTC colabora desde o início das investigações e continuará à disposição das autoridades para prestar as informações necessárias.”

Queiroz Galvão – “A Queiroz Galvão reitera que todas as suas atividades e contratos seguem rigorosamente a legislação em vigor e está à disposição das autoridades para prestar quaisquer esclarecimentos necessários.”

Galvão Engenharia – “A Galvão Engenharia tem colaborado com todas as investigações referentes à Operação Lava-Jato e está permanentemente à disposição das autoridades para prestar quaisquer esclarecimentos necessários.”

Iesa – Não se manifestou

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.