Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nova fase da Operação Descarte apura desvio de dinheiro da Cemig

Ação investiga suposto esquema a partir de aporte de R$ 850 milhões na Renova Energia. Executivos da Andrade Gutierrez estão entre investigados

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira, 11, a Operação E o Vento Levou, quarta fase da Operação Descarte. A ação é feita em conjunto por PF, Receita Federal e Ministério Público Federal.

O objetivo da operação é investigar um suposto desvio de dinheiro da estatal estadual Cemig Geração e Transmissão, da Companhia Energética de Minas Gerais.

O esquema teria acontecido a partir de um aporte de 850 milhões de reais na Renova Energia S.A., com posterior repasse de parte dos recursos por meio do superfaturamento de um contrato com a empresa Casa dos Ventos. Os valores teriam sido escoados através de transferências a várias outras empresas e, em seguida, convertidos em espécie para distribuição aos beneficiários do esquema.

A PF investiga a participação de executivos e acionistas da Andrade Gutierrez, Cemig, Renova e da Casa dos Ventos na fraude – além dos operadores financeiros e outras empresas usadas para distribuir o dinheiro desviado.

Foram expedidos pela 2ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo 26 mandados de busca e apreensão para os endereços das pessoas e empresas envolvidas com os fatos investigados, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Taubaté (SP), Nova Lima (MG) e Mogi das Cruzes (SP).

Os investigados poderão ser enquadrados pelos crimes de associação criminosa, peculato, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, cujas penas, somadas, podem variar de 9 a 38 anos de prisão.

O nome da fase da operação remete à área de atuação da empresa e ao esquema de lavagem de dinheiro para escoamento dos valores desviados do seu caixa.