Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Não há acordo, mas governo quer conversar, diz Cardozo

Ao site de VEJA, ministro da Justiça afirma que conversas serão centralizadas pelo Ministério do Planejamento. Planalto vai apresentar proposta unificada

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, confirmou ao site de VEJA que se reuniu nesta quinta-feira com representantes da Polícia Federal, em Brasília. Embora não tenha chegado a um acordo com a categoria, acenou com uma nova proposta de reajuste para a próxima semana, quando sindicato e governo voltam a negociar.

Leia também:

Greve: o governo acuado pelo seu braço sindical

“Ainda não houve acordo”, afirmou o ministro. “O que houve foi uma conversa, um diálogo, uma sinalização de que o governo está disposto a conversar”.

“As conversas de ontem foram no sentido de apaziguar as lideranças da greve [da PF].”

Nesta sexta-feira, a Polícia Federal interrompeu a operação-padrão que congestionou aeroportos, mas ainda segue em estado de greve. A categoria reivindica reajuste salarial, reestruturação de carreira e contratação com vistas à Copa do Mundo de 2014.

De acordo com interlocutores do Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff tem pedido para que os ministros das esferas administrativas afetadas pela paralisação sirvam de intermediadores com o Ministério do Planejamento, que centraliza todas as negociações. A ideia é, a princípio, apresentar uma proposta unificada às 30 categorias em greve no país.

Os diálogos serão retomados na semana que vem, entre os dias 13 e 17 de agosto. O governo tem até o fim do mês para firmar um acordo com os grevistas, quando acaba o prazo para incluir novos aumentos salariais na proposta de previsão orçamentária para 2013.