Clique e assine com até 92% de desconto

MP vai notificar PM por apreensão de usuários de crack

Delegacia e prefeitura também serão convocados para prestar esclarecimentos. Mais de cem pessoas foram recolhidas nesta terça e encaminhadas a batalhão

Por Da Redação 19 nov 2013, 19h40

As polícias Civil e Militar do Rio de Janeiro terão de prestar esclarecimentos sobre a operação deflagrada nesta terça-feira que recolheu mais de cem usuários de crack nas favelas Nova Holanda e Parque União, no Complexo da Maré, Zona Norte da capital. O Ministério Público informou que vai notificar o comandante do 22º BPM (Maré), o delegado da 21ª DP (Bonsucesso) e o secretário municipal de Desenvolvimento Social.

O que a 7ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania quer saber é por que as pessoas apreendidas foram encaminhadas para um batalhão da polícia e não para uma unidade de saúde. O órgão enfatiza que a internação obrigatória de dependentes químicos é ilegal. Ainda de acordo com o MP, acolhimentos desse tipo devem ser realizados por assistentes sociais e respeitar a liberdade de ir e vir.

Leia também:

Leia também: Polícia recolhe mais de 100 usuários de crack no Rio

A ação – Entre os recolhidos na operação realizada com apoio da PM nesta terça, estão menores de idade, uma mulher grávida e pessoas idosas. Todos foram levados para o Batalhão da Maré, onde foi instalado um posto avançado da delegacia, para verificar se entre os dependentes há foragidos da Justiça. O Complexo da Maré fica às margens da Linha Vermelha e da Avenida Brasil e tornou-se ponto de concentração de usuários e traficantes.

Leia também:

Vice-prefeito do Rio critica falta de estrutura dos abrigos para dependentes de crack

Brasil tem 370 mil usuários regulares de crack em capitais

Polícia investiga troca de bebê por dívida de crack

Continua após a publicidade
Publicidade