Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

MP da Suíça quer ouvir Odebrecht e delatores no Brasil

Empresa é investigada em país europeu por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro. Promotores pedem cópia de documentos e oitiva de réus da Lava Jato

O Ministério Público da Suíça pediu autorização para realizar diligências no Brasil no âmbito da investigação sobre corrupção e lavagem de dinheiro que envolve a Odebrecht na Europa. As subsidiárias da construtora são suspeitas de usar contas no país para fazer pagamentos de propina a ex-executivos da Petrobras. O MP quer ouvir o extenso rol de investigados da Operação Lava Jato, inclusive cinco ex-executivos da Petrobras, entre eles dois delatores: Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento, e Pedro Barusco, ex-gerente de Serviços.

Leia mais:

Marcelo Odebrecht é alvo de inquérito do MP da Suíça

MP da Suíça abre investigação contra Odebrecht

EUA encontram sinais de corrupção em obras da Odebrecht no exterior

As autoridades suíças também pedem cópia de documentos que “demonstrem o pagamento de valores entre as sociedades componentes do grupo Odebrecht e as empresas Smith&Nash Engineering Co. Inc., Arcadex Corp., Havinsur S/A, Golac Project and Construction Corp., Rodira Holdings Ltd e Sherkson”.

O pedido de cooperação jurídica da Suíça chegou ao Brasil via Ministério da Justiça, conforme informou o procurador da República Carlos Bruno Ferreira da Silva, secretário de Cooperação Internacional em exercício da Procuradoria-Geral da República. Em ofício encaminhado ao procurador Daltan Dallagnol, que integra a força-tarefa da Lava Jato, o secretário da Cooperação Internacional descreveu a pauta das autoridades de Genebra.

Os promotores suíços querem ouvir Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho, Paulo Roberto Costa, Pedro Barusco, Jorge Luiz Zelada, Renato Duque e Nestor Cerveró – os três últimos estão presos em Curitiba (PR), por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro. Além deles, os promotores querem ouvir também os “responsáveis financeiros” da Construtora Norberto Odebrecht, da Osel Odebrecht Serviços no Exterior Ltd, da Osel Angola DS-Odebrecht Serviços no Exterior Ltd e da CO Construtora Norberto Odebrecht Gustavo. Os suíços pedem para acompanhar as diligências no Brasil.

(Com Estadão Conteúdo)