Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ministros liberam verba para projetos próprios e de aliados

Auxiliares de Dilma usam recursos de emenda para beneficiar redutos eleitorais

Ao assumir seus cargos após a faxina ética promovida pelo Planalto, os ministros da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS), e do Trabalho, Brizola Neto (PDT-RJ), usaram a caneta de suas pastas para pagar emendas parlamentares propostas por eles mesmos no Congresso, quando ainda eram deputados.

Um terceiro ministro, Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), da Integração Nacional, reservou fatia generosa de recursos destinados por sua pasta para agraciar, em ano de campanha, projeto apadrinhado pelo seu filho, o deputado federal Fernando Bezerra Coelho Filho (PSB-PE), candidato à prefeitura de Petrolina.

Na Agricultura, Mendes Ribeiro já pagou 1,2 milhão de reais para emendas de sua autoria em 2012 – ele figura entre os quatro maiores beneficiados com recursos. O dinheiro foi repassado em maio para seis municípios do Rio Grande do Sul nos quais o ministro teve boa votação em 2010: Passa Sete, Segredo, Doutor Ricardo, Barros Cassal, Salto do Jacuí e Tunas – os últimos quatro municípios são administrados pelo PMDB, partido do ministro.

Segundo o sistema controle orçamentário do governo, os recursos liberados bancaram projetos de “desenvolvimento do setor agropecuário”. Antecessor de Ribeiro, Wagner Rossi (PMDB-SP) deixou o cargo em agosto de 2011 sob suspeita de irregularidades, entre elas a de permitir que um lobista interferisse em licitações da pasta.

No Trabalho, Brizola Neto já liberou 1,8 milhão de reais para projetos apadrinhados pelo deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, que disputa a prefeitura de São Paulo. O valor é o mais alto pago este ano. Bancou programas de habilitação de trabalhadores ao Seguro Desemprego e de “orientação e intermediação” de mão de obra em São Paulo.

O segundo no ranking é o próprio ministro, empossado em 3 de maio. Quatro dias depois, a pasta pagou 599.900 reais, referentes a uma emenda dele, para a prefeitura de Belford Roxo, sua base eleitoral – a cidade é administrada pelo aliado PT. O valor bancou projeto para elevação da escolaridade e qualificação profissional de trabalhadores no Programa ProJovem.

Brizola Neto sucedeu a Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, que pediu demissão em 2011 sob suspeitas de favorecer a sigla.

Em família – Na Integração Nacional, Bezerra Coelho já pagou este ano 4,6 milhões de reais de emenda do filho. O dinheiro foi enviado em parcelas para apoio a projetos de desenvolvimento sustentável em Pernambuco, base política da família. Bezerra Filho é o deputado mais contemplado com recursos de emendas específicas, pagas este ano pelo ministério comandado pelo pai.

Políticos do PSB lideram os repasses da Integração. Dos 18,7 milhões de reais repassados este ano, receberam 6,7 milhões de reais. Líder do partido na Câmara, Givaldo Carimbão (AL) também está entre os mais contemplados. Conseguiu liberar 2 milhões de reais para investimentos de infraestrutura em seu Estado.

Os dados das emendas foram levantados a partir dos pagamentos registrados até terça-feira para as obras e serviços contemplados com dinheiro de emendas específicas, aquelas apresentadas por um deputado só. As emendas genéricas, de grupos, não foram levadas em conta, pois não é possível identificar qual foi o parlamentar contemplado.

(Com Agência Estado)