Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ministro de Temer diz que retratos de Dilma ficam – mas ordem é descumprida

Minutos depois da declaração de Eliseu Padilha (PMDB), o site de VEJA foi até o 4º andar e constatou que a ordem do ministro ainda não surtiu efeito

A ordem do novo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB), para que os retratos oficiais da presidente afastada Dilma Rousseff sejam mantidos nas paredes do Palácio do Planalto e de órgãos federais já foi descumprida. Na entrevista que concedeu após a primeira reunião ministerial do governo Temer, nesta sexta-feira, Padilha afirmou: “Em nenhum recinto da administração pública federal onde hoje existe a fotografia da presidente Dilma deve haver modificação. Será preservada a foto da presidente em todos os estabelecimentos federais, onde hoje se encontra. O presidente Michel entende que hoje este é um governo transitório”.

LEIA TAMBÉM:

Temer reestrutura ministérios e cria Programa de Parceiras de Investimentos (PPI)

Temer e a sombra da Lava Jato

Como mostrou o site de VEJA, já na quinta-feira gabinetes no 3º andar do Palácio do Planalto estavam sem a fotografia de Dilma, entre eles o presidencial. Minutos depois da declaração de Padilha, a reportagem voltou ao 4º andar e constatou que a ordem do ministro ainda não surtiu efeito. Ao contrário. Em uma das salas justamente do ministério dele, a Casa Civil, o retrato de Dilma foi retirado da parede entre a noite de quinta-feira e a manhã desta sexta.

A imagem com a foto de Dilma ao lado de outros quadros da sala 411, da assessoria da Casa Civil, foi registrada às 20h15 de quinta. A outra, já sem o retrato da petista, foi tirada às 14h55 desta sexta.