Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mesmo com afastamento, não há previsão de nova eleição para presidência da Câmara

O entendimento da Secretaria-geral da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados é o de que, mesmo com a suspensão do mandato do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e consequentemente de seu cargo como presidente da Casa, não há previsão para que o vice Waldir Maranhão (PP-MA) convoque novas eleições para a direção máxima da Câmara. A avaliação é de que se deve esperar o encerramento da ação penal em que Cunha é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) para que se discuta qualquer providência. Enquanto a Corte não decide se o parlamentar é culpado ou inocente no processo em que é acusado de receber propina em contratos de navios-sonda da Petrobras, Maranhão assume como presidente da Câmara. Waldir Maranhão teria cinco sessões para convocar nova eleição apenas em caso de o STF cassar mandato de Cunha – hipótese considerada remota. Neste cenário de eventual cassação por ordem judicial, se a decisão for tomada até o dia 30 de novembro, haveria novas eleições. Se for depois, a eleição ocorrerá somente no ano que vem. (Laryssa Borges e Felipe Frazão, de Brasília)