Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lava Jato: PGR denuncia mais dois deputados e um senador

Arthur Lira (PP-AL) , presidente da CCJ da Câmara, e seu pai, o senador Benedito de Lira (PP-AL), são acusados de lavagem de dinheiro e corrupção. Aníbal Gomes (PMDB-CE), aliado de Renan Calheiros, responde por crime eleitoral

A Procuradoria-Geral da República denunciou ao Supremo Tribunal Federal (STF) mais dois parlamentares por suspeitas de envolvimento no escândalo do petrolão. O deputado federal Arthur Lira (PP-AL) – presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara – e seu pai, o senador Benedito de Lira (PP-AL) são acusados de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, a partir dos indícios colhidos na Operação Lava Jato.

O deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE), que é aliado do presidente do Senado, Renan Calheiros, também foi denunciado, mas por crime eleitoral. Em inquérito da Lava Jato, ele admitiu não ter declarado doações de terceiros para sua campanha. Gomes ainda pode ser denunciado por outros crimes diretamente relacionados ao petrolão.

Leia também:

MP denuncia Dirceu e outros 16 por crimes do petrolão

Lava Jato: PF aponta crime de corrupção do presidente da CCJ da Câmara

Ministério Público quer mais de 30 anos de prisão para Dirceu

O caso dos parlamentares Benedito e Arthur Lira corre em segredo de Justiça, e cabe ao STF decidir se aceita ou não a denúncia. Ambos foram indiciados pela Polícia Federal por corrupção passiva.

Delação – Dois dos principais delatores do petrolão, o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras confirmaram que a Braskem, petroquímica ligada a Odebrecht, pagou de 1% a 3% em propina, em dinheiro, tanto para Costa quanto para políticos filiados ao Partido Progressista (PP), entre eles Benedito e Arthur Lira.

Conforme revelou reportagem de VEJA, o presidente da CCJ foi flagrado pelas câmeras de segurança no prédio onde funcionava o escritório do doleiro Alberto Youssef. Ele também é investigado pelo Supremo Tribunal Federal por crime de lavagem e responde a ação penal por agressão à ex-mulher.

(Da Redação)