Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lava Jato: Edinho diz à PF que não pressionou dono da UTC

Ricardo Pessoa, da UTC, afirmou em colaboração premiada que ex-tesoureiro de Dilma e Ministro da Secom o persuadiu a doar dinheiro à campanha de reeleição

Investigado na Operação Lava Jato, o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva (PT), confirmou em depoimento à Polícia Federal os encontros relatados pelo delator do petrolão e presidente da UTC, Ricardo Pessoa, no ano passado. Edinho era tesoureiro da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff e, segundo Pessoa, o persuadiu de maneira “bastante elegante” a fazer repasses de dinheiro para o comitê da presidente.

Nesta segunda-feira, Edinho negou que feito pressão para que o empreiteiro doasse recursos à campanha de Dilma. O ministro também negou todas as frases que Pessoa lhe atribuiu em sua delação premiada.

Aos procuradores da Lava Jato, o dono da UTC disse ter sido “persuadido” por Edinho a “contribuir mais para o PT”, uma vez que a empresa tinha grandes contratos com a Petrobras. “O Edinho me disse: ‘Você tem obras na Petrobras e tem aditivos. Não pode só contribuir com isso. Tem que contribuir com mais. Estou precisando'”, relatou Pessoa.

Leia mais:

Exclusivo: as provas que Ricardo Pessoa entregou à Justiça

Os investigadores suspeitam que os 7,5 milhões de reais doados pela UTC à petista tenham sido fruto de dinheiro desviado da Petrobras, assim como Pessoa admitiu que fez em eleições anteriores.

No mês passado, o ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, autorizou a investigação do ministro, após pedido de abertura de inquérito enviado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Na semana passada, Pessoa também prestou depoimento sobre o caso que envolve Edinho na sede da Polícia Federal, em Brasília.

(Com Estadão Conteúdo)